DESKTOP

Empresa diz que morte de empresário de Campo Largo não foi por Covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

incepa 1 - Empresa diz que morte de empresário de Campo Largo não foi por Covid-19
O laudo apresentou como causa mortis uma Síndrome Respiratória Aguda em decorrência de uma pneumonia viral. (Foto: Divulgação)

A assessoria de imprensa da Roca Brasil Cerámica enviou na tarde desta quinta-feira (9) um comunicado ao portal para informar que a causa da morte do diretor da empresa, Bruno Borer, não foi por coronavírus. Segundo o comunicado, o laudo apresentou como causa mortis uma Síndrome Respiratória Aguda em decorrência de uma pneumonia viral. A nota diz também que foram realizados dois testes para a detecção da Covid-19 e ambos deram negativo.

Ontem (quarta-feira), o portal noticiou a morte do executivo baseado em uma informação divulgada inicialmente pelo jornal Folha de Campo Largo, cidade onde fica a sede da empresa e onde Borer morava. Em seguida, tentou confirmar a causa da morte com o hospital Marcelino Champagnat, onde ele veio a falecer, sem sucesso. Uma fonte médica ligada ao hospital disse, porém, que ele deu entrada com suspeita de ter contraído coronavírus.

A assessoria da Roca Brasil Cerámica também confirmou que Bruno Borer, que exercia o cargo de Managing Director, cumpriu quarentena após voltar de São Paulo, onde participou, de 10 a 13 de março, da Expo Revestir. Uma outra fonte, com acesso à empresa, disse ao portal nesta quinta-feira (9) ter ouvido informações seguras de que o executivo contraiu o vírus. Leia abaixo a íntegra do comunicado sobre a causa da morte:

“Comunicado – Laudo da morte Bruno Borer

Bastante sensibilizada com a perda de seu colaborador e Managing Director Bruno Borer no dia de ontem (08/04), a Roca Brasil Cerámica vem informar que o laudo apresentou como causa mortis uma Síndrome Respiratória Aguda em decorrência de uma Pneumonia Viral. Foram realizados dois testes para a detecção do Covid-19 e ambos foram negativos para o vírus.

Desde o retorno da equipe que atuou em tempo integral durante a Expo Revestir, em São Paulo, todos, inclusive o Sr. Borer, seguiram em quarentena, conforme os protocolos de saúde indicados pelo Ministério da Saúde e a Organização Mundial da Saúde.

Logo após o retorno da feira, aqueles que apresentaram sintomas de gripe foram testados. No total, foram realizados 9 testes de detecção do Covid-19, sendo confirmados em 3 colaboradores. Estes residem em Curitiba, ficaram isolados e já estão recuperados, em bom estado de saúde. Todos, sem exceção, receberam todo suporte e orientações da equipe médica da empresa e do Ministério da Saúde, seguindo todos os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS).

LEIA TAMBÉM:

O Sr. Bruno Borer, já em quarentena, sentiu mudanças em seu quadro de saúde e foi hospitalizado. A Roca Brasil Cerámica prestou assistência integral a ele e sua família.

Ainda de acordo com as medidas tomadas pela empresa desde o início da pandemia, os colaboradores das áreas Administrativa, Jurídica, TI, Compras, Marketing, Financeira, Logística, Comercial e RH seguem trabalhando em sistema de home office.

Para a operação industrial, a Roca Brasil Cerámica ampliou e intensificou os protocolos em todos os ambientes das fábricas, envolvendo desde a portaria, área de produção e até expedição. Na fábrica, todas as pessoas de grupo de risco estão em banco de horas, home office ou férias”.

Veja Também

2 comentários em “Empresa diz que morte de empresário de Campo Largo não foi por Covid-19”

  1. Tânia Maria de Sousa

    Gostaria muito de saber..pq TDS os laudos que fazem agora é corona vírus.. só existe esse tipo de morte? Minha avó faleceu nessa terça feira vou esperar a oportunidade pra ver o laudo… Ela caiu e teve traumatismo craniano…

  2. Pingback: Agora é oficial: Covid-19 foi a causa da morte de executivo de Campo Largo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X