DESKTOP

Confecção de máscaras caseiras garante renda de artesãos da Feira do Largo da Ordem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

artesa - Confecção de máscaras caseiras garante renda de artesãos da Feira do Largo da Ordem
Em seu ateliê, no Portão, Roxana Gonzales trocou a confecção de bolsas e mochilas pela de máscaras artesanais após a prefeitura tornar obrigatório seu uso. (Foto: Divulgação)

As máscaras caseiras anti-coronavírus têm se revelado uma boa opção de renda para os artesãos da Feira do Largo da Ordem, que está suspensa há quase um mês por causa da pandemia. A feira criou um site para que os feirantes pudessem vender seus produtos enquanto estão em isolamento social. “Estou recebendo muitos pedidos de máscaras graças ao site da feira”, diz Lucimara Costa da Rosa, com ateliê no Novo Mundo, que trocou a produção de porta-objetos e capas de celular pelas máscaras de TNT em tecido duplo com divertidas estampas de sorriso, unicórnio, coringa, caveira e Salvador Dalí (em referência à máscara do seriado Casa de Papel, da Netfllix). As peças custam R$ 10 (sem entrega).

00297109 - Confecção de máscaras caseiras garante renda de artesãos da Feira do Largo da Ordem
Existe uma variedade de estampas para as máscaras. (Foto: Divulgação)

Quem também voltou à máquina de costura para produzir máscaras caseiras para comercializar na plataforma da feirinha é a artesã Roxana Gonzalez. Em seu ateliê, no Portão, ela costumava produzir apenas bolsas e mochilas em tecido. Roxana conta que, após a prefeitura editar a resolução que obriga o uso de máscaras, resolveu confeccionar o acessório. “Tenho opções com estampas, inclusive de personagens de quadrinhos e desenhos animados, muito procuradas para as crianças. Já as lisas, principalmente brancas e pretas, são mais vendidas para homens”, diz.

Dona do ateliê Pauleskka Artesanatos, no Água Verde, Ana Paula Claro também começou a produzir e vender máscaras na plataforma da Feira do Largo da Ordem. “Com a suspensão das feiras do Largo da Ordem e do Santa Quitéria, onde vendo bolsas e necessaires em tecido e caixas em MDF, o site está me ajudando a vender e as máscaras são uma novidade que estão tendo uma boa procura”, comemora ela. Os acessórios de proteção artesanais, feitos em algodão de tecido duplo, custam R$ 6 (com entrega grátis no Água Verde) e trazem estampas lisas ou de caveiras e personagens de desenhos animados ou quadrinhos.

LEIA TAMBÉM:

Todas elas afirmam que o site da feira do Largo da Ordem as está ajudando a se manter. “Vender pela internet está me ajudando neste momento muito difícil”, diz Roxana. O site da feira do Largo da Ordem já reúne 364 artesãos de Curitiba e Região Metropolitana. Além das máscaras de proteção artesanais, a plataforma reúne artesanato alimentício, artes plásticas, arte em madeira, arte em plástico, arte em tecido, brinquedos, decorativos, utilitários e vestuário, entre vários outros itens.

artesa 1 - Confecção de máscaras caseiras garante renda de artesãos da Feira do Largo da Ordem
As máscaras são confeccionadas em tecido duplo de algodão com estampas divertidas de sorriso, unicórnio, Coringa, caveira e de Salvador Dalí. (Foto: Divulgação)

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.