DESKTOP

Saúde impõe 34 mandamentos para que igrejas e templos religiosos voltem a receber público

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

CATEDRAL DE CURITIBA DENTRO DA IGREJA - Saúde impõe 34 mandamentos para que igrejas e templos religiosos voltem a receber público
De acordo com a resolução, no espaço destinado ao público deve ser observada a ocupação máxima de 30% para garantir o afastamento mínimo de dois metros entre os fiéis. (Foto: Divulgação)

Igrejas e templos religiosos podem voltar a receber público a partir desta sexta-feira (22). A Secretaria de estado da Saúde publicou uma resolução nesta quinta-feira (21) com as condições necessárias para que esses locais voltem a funcionar com a presença de público. A medida, elaborada pelo Centro de Operações em Emergências da pasta, cria normas rígidas para o funcionamento das atividades religiosas no Paraná. Igrejas e templos precisam seguir um protocolo com 34 artigos, com normativas que poderão ser revistas a qualquer momento, se a situação exigir. Entre as medidas, as igrejas precisam respeitar as orientações para a preservação do afastamento físico entre as pessoas. De acordo com a resolução, no espaço destinado ao público deve ser observada a ocupação máxima de 30% para garantir o afastamento mínimo de dois metros entre os fiéis.

A resolução é fruto da lei sancionada pelo governador Ratinho Jr., também na quinta-feira, liberando o funcionamento de igrejas e templos religiosos. Esses locais estavam impedidos de receber fiéis desde o dia 21 de março. Durante as celebrações devem ser disponibilizadas preferencialmente cadeiras e bancos de uso individual, em quantidade compatível com o número máximo de participantes autorizados para cada local. No caso de bancos coletivos, eles precisarão ser reorganizados e demarcados, de forma a garantir que as pessoas se acomodem nos locais indicados e mantenham o afastamento mínimo de dois metros umas das outras.

LEIA TAMBÉM:

Ainda segundo a normativa da SESA, as celebrações religiosas devem evitar práticas de aproximação entre as pessoas e outras formas de contato físico, como dar as mãos, beijos, abraços, apertos de mãos, entre outros, como pedem os ritos católicos, por exemplo. A comunhão deve ser entregue na mão do fiel pelo padre, e não na boca.

Grupos de risco

A Secretaria da Saúde orienta ainda que pessoas acima de 60 anos e do grupo de risco – hipertensos, diabéticos, gestantes e outros – devem permanecer em casa, acompanhando as celebrações por meios eletrônicos. Reforça ainda a recomendação do isolamento social, destacando que é atualmente a melhor maneira de se prevenir a circulação do coronavírus. “É recomendado à população que realize seus atos religiosos em seus lares e residências, de forma individual ou em família”, destaca o texto da resolução.

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X