DESKTOP

Fechado ao público, MON aproveita para intensificar trabalho de conservação do acervo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

normal MON Bastidores Marcio Pimenta 5 of 20 1 - Fechado ao público, MON aproveita para intensificar trabalho de conservação do acervo
As quase sete mil obras do MON passam por higienização frequente. Trabalho foi intensificado durante a quarentena. (Fotos: Divulgação/Marcio Pimenta)

Mesmo fechado ao público desde o dia 17 de março, o Museu Oscar Niemeyer mantém algumas atividades internas, como o trabalho de conservação das obras de seu acervo. O MON está temporariamente fechado atendendo ao decreto estadual 4.230, que determinou o fechamento dos espaços culturais do governo do estado e suspendeu os eventos artísticos e culturais a partir daquela data. Maior museu de arte da América Latina, com 35 mil metros quadrados de área construída, dos quais 17 mil são salas expositivas, o MON conta com um acervo de aproximadamente sete mil peças.

Para salvaguardar as obras, rondas presenciais são realizadas ao menos duas vezes por semana. Sem visitação externa, o trabalho de conservação ganha mais precisão. Uma análise minuciosa do estado físico das obras faz parte das rondas, além do monitoramento de diversos itens, como temperatura, umidade e incidência de luz, com a manutenção das salas sem iluminação.

normal MON Bastidores Marcio Pimenta 4 of 20 - Fechado ao público, MON aproveita para intensificar trabalho de conservação do acervo
Para salvaguardar as obras, rondas presenciais são realizadas ao menos duas vezes por semana. (Fotos: Divulgação/Marcio Pimenta)

As obras também passam por higienização frequente, bem como seus suportes e cúpulas. A checagem do funcionamento do ar-condicionado, que permanece ativo ininterruptamente, acontece diversas vezes ao dia pelas equipes de segurança do museu. “Neste período de distanciamento social, com o museu fechado ao público, as obras de arte também cumprem uma espécie de quarentena, o que possibilita que a nossa rotina de cuidados com sua conservação aconteça ainda com mais frequência e precisão”, explica a diretora-presidente do MON, Juliana Vosnika.

Embora grande parte dos colaboradores do MON esteja trabalhando remotamente, as rondas que visam à conservação das obras acontecem num esquema de revezamento do pessoal do setor responsável. Eles utilizam todo o equipamento necessário, como máscara, luvas e jaleco apropriado durante o trabalho presencial. Além do trabalho de conservação e restauro, o setor realiza atividades de catalogação, o que inclui acrescentar biografias, histórico e descritivo das obras do acervo.

LEIA TAMBÉM:

Mesmo não podendo visitar o museu fisicamente, o público term a opção de fazer visitas virtuais. Uma programação especial foi montada para o período de quarentena. Nas redes sociais do @museuoscarniemeyer é possível visitar exposições e ateliês de artistas, aprender mais sobre as obras do acervo e assistir a entrevistas de artistas que têm obras no acervo da instituição, além de participar de oficinas artísticas e educativas. O museu conta ainda com 12 exposições que podem ser vistas na íntegra no Google Arts & Culture, sem sair de casa. No site do MON (ver abaixo), o visitante tem acesso a tours virtuais em 3D pelo museu e por várias exposições. Com a hashtag #monemcasa, o público acessa uma série de ações, como oficinas educativas que podem ser feitas por toda a família. Há atividades específicas para o público com mais de 60 anos, que costumava participar do programa Arte para Maiores, enviadas agora via WhatsApp.

SERVIÇO:

www.museuoscarniemeyer.org.br
Facebook, Instagram e YouTube: @museuoscarniemeyer
Museu Oscar Niemeyer na plataforma Google Arts & Culture
Disponível em bit.ly/MONGoogleArtsAndCulture

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.