DESKTOP

Abrabar sugere que Greca determine paralisação do transporte coletivo na capital para conter pandemia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Reinaldo Bessa

00300625 - Abrabar sugere que Greca determine paralisação do transporte coletivo na capital para conter pandemia
Para a Abrabar, ônibus do transporte coletivo de Curitiba são transmissores da Covid-19. (Foto: Daniel Castellano/SMCS)

A Abrabar vai propor nesta quarta-feira (17) ao prefeito Rafael Greca que feche os terminais de transporte coletivo da cidade e determine a proibição dos ônibus de circular por pelo menos uma semana. A medida, segundo o presidente da entidade, Fabio Aguayo, ajudaria na queda dos índices de contaminação da Covid-19 em Curitiba. A secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, admitiu nesta terça-feira (16) que a prefeitura poderá rever o acordo feito ontem com representantes de academias, que permitiu que elas continuem funcionando diante dos novos números de casos registrados na cidade. Os bares continuam impedidos de funcionar desde esta segunda-feira (15). Aguayo deu a informação ao portal enquanto estava reunido com a diretoria e o departamento jurídico da entidade, que representa bares, restaurantes e casas noturnas.

O presidente da Abrabar, Fabio Aguayo. (Vídeo: Divulgação)

Fabio Aguayo diz que a Abrabar está disposta a apoiar as decisões da prefeitura desde que o transporte coletivo seja paralisado por completo. “Chegou a hora de parar de matar as pulgas e matar o cachorro”, disse, em referência aos empresários do setor que estão fechando seus negócios. Para ele, o transporte coletivo está sendo o principal responsável pela transmissão do vírus. Ele sugere que os empresários que estão autorizados a manter seus negócios abertos contratem vans, táxis ou aplicativos para transportar seus funcionários de casa para o trabalho e vice-versa.

LEIA TAMBÉM:

Mortes sobem

Dados divulgados no boletim da covid-19 nesta terça-feira (16) mostram um agravamento da pandemia na capital, segundo a médica infectologista Marion Burger, do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde. O número total de óbitos na capital atingiu 89 pessoas nesta terça-feira. Até o final de maio, ocorria uma morte a cada dois dias, em média. Agora, essa incidência pulou para cinco mortes a cada dois dias – também cinco vezes mais, segundo informou a Secretaria Municipal da Saúde agora há pouco.

Em decorrência do agravamento do cenário de segunda para terça-feira, a secretaria diz que vai continuar avaliando mudanças para alguns setores em relação às determinações do Decreto 774, como o de academias e restaurantes. Conforme reunião realizada nesta segunda-feira com representantes dessas áreas a previsão era a de apresentar as novas regras acordadas nesta quarta-feira (17). Curitiba encontra-se na bandeira laranja (nível de alerta médio), numa escala de três níveis que inclui também o amarelo (alerta) e o vermelho (alerta máximo).

Reforço na frota

A prefeitura anunciou agora à noite que a Urbs vai reforçar mais 15 linhas de ônibus, que passam a operar com 100% da frota a partir desta quarta-feira (17). As mudanças vão envolver linhas alimentadoras e diretas que registraram maior movimento nas últimas semanas. Na próxima segunda-feira (22) retomam a operação em 100% linhas das regiões Pinheirinho, Tatuquara, Capão Raso e CIC.

Desde segunda-feira, os ônibus da capital estão circulando com 50% da capacidade de lotação. A determinação é para manter o distanciamento entre os passageiros e evitar a propagação do novo coronavírus. Mesmo com as restrições de ocupação dos ônibus, o número de passageiros no sistema na segunda-feira foi de 277 mil pessoas. “Vamos esperar mais alguns dias para ver se esse número cai nos horários de pico. Por isso a necessidade de os setores escalonarem o funcionamento e entrada de funcionários”, diz o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto.

Veja Também

3 comentários em “Abrabar sugere que Greca determine paralisação do transporte coletivo na capital para conter pandemia”

  1. Pingback: Abrabar sugere que Greca determine paralisação do transporte coletivo na capital para conter pandemia

  2. E na regiao metropolitana que o campo largo por exemplo é de 40 em 40 minutos! Quem vai esperar o proximo vazio? Quem paga com a vida é o trabalhador! 😭

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X