DESKTOP

Aeroporto Afonso Pena adota tecnologia de embarque com distanciamento social

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

WhatsApp Image 2020 06 18 at 17.50.25 1 1024x682 - Aeroporto Afonso Pena adota tecnologia de embarque com distanciamento social
O “tapete” virtual é feito com Inteligência Artificial e projeta no chão o número dos assentos em realidade aumentada. (Foto: Divulgação)

Uma empresa do interior do Paraná é a responsável pela tecnologia de embarque presente nos maiores aeroportos brasileiros. Se o embarque nas aeronaves já era visto como algo lento e trabalhoso, a pandemia acrescentou a necessidade de manter o distanciamento social nas filas, tornando a operação mais complexa. Foi aí que a Pacer, de Mariópolis, na Região Sudoeste, desenvolveu o Sistema Wavemaker, que utiliza Inteligência Artificial para projetar no chão um “tapete” virtual com o número dos assentos em realidade aumentada, que se move conforme o fluxo de passageiros. Caso algum deles interrompa o fluxo, o sistema paralisa automaticamente o movimento da projeção.

A tecnologia da Pacer, residente do HIPE Innovation Center em Curitiba, acaba de ser lançada pela companhia aérea Azul como “Tapete Azul” no Aeroporto Internacional Afonso Pena, em São José dos Pinhais, após um período de testes. Na sequência foi implantada nos aeroportos Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e de Goiânia. Com o aumento de integração entre as companhias aéreas, a solução pode reduzir em até 50% o tempo do embarque nas aeronaves, aumentando o conforto dos passageiros e a eficiência das empresas.

WhatsApp Image 2020 06 18 at 17.50.25 1 1 - Aeroporto Afonso Pena adota tecnologia de embarque com distanciamento social
Tecnologia chamada “Tapete Azul”acaba de ser lançada no Aeroporto Internacional Afonso Pena, após um período de testes. (Foto: Divulgação)

O Pacer Wavemaker atua como um sistema de embarque assistido para guiar os passageiros de maneira simples, intuitiva e orgânica. A ideia é proporcionar uma experiência de um embarque reinventado, em que as pessoas serão conduzidas e organizadas de acordo com uma projeção dos números dos assentos do avião, ou seja, cada um terá o seu lugar no momento de embarque, sem necessidade de uma fila extensa e demorada.

Além disso, com a pandemia, a tecnologia garante o distanciamento social entre os passageiros durante o embarque. “Como o passageiro terá o seu lugar demarcado na projeção, ele pode se dirigir ao local do embarque apenas na hora exata em que a aeronave abrir as suas portas, sem a criação de filas. Quando chegar o momento de embarcar, os passageiros serão organizados a uma distância segura e adequada um do outro”, afirma André Pocai, o diretor da Pacer.

LEIA TAMBÉM:

Além de proporcionar uma organização mais inteligente e eficaz, o Wavemaker também deve garantir mais pontualidade nos voos. A solução utiliza as mais altas tecnologias do mundo e coloca o Brasil como pioneiro neste tipo de inovação.

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X