DESKTOP

Feirinha do Largo da Ordem ocorrerá também aos sábados por tempo limitado

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

00052474 1 1024x684 - Feirinha do Largo da Ordem ocorrerá também aos sábados por tempo limitado
A Feira do Largo da Ordem vai passar a funcionar também aos sábados, a partir da próxima semana, dia 29. (Foto: Ricardo Almeida/SMCS)

A Feira de Artesanato do Largo da Ordem, que volta às atividades no próximo domingo (23), vai passar a funcionar também aos sábados, a partir da próxima semana, dia 29. A informação foi divulgada pela prefeitura de Curitiba na tarde desta quarta-feira (19). O horário de funcionamento será das 9h às 15h aos domingos e das 9h às 14h aos sábados. Em decorrência da pandemia do novo coronavírus, além do funcionamento máximo de 300 barracas, outras regras de prevenção devem ser seguidas: distanciamento de dois metros entre cada barraca e apenas um artesão por unidade. O site de venda online dos produtores na feirinha continua funcionando.

Confira as novas normas de funcionamento:

  • Material publicitário em cada barraca com informações sobre a transmissão e distanciamento.
  • Disponibilidade obrigatória de álcool gel 70% para o artesão e público em geral.
  • Evitar aglomerações de pessoas, com a participação da fiscalização e guarda municipal atuante.
  • Será permitido apenas um artesão por barraca, respeitando a normativa de distanciamento mínimo de 1,5 metros entre as pessoas nas filas do lado de fora, que deve ser organizada pelo artesão responsável pela barraca.
  • Uso obrigatório de máscaras.
  • Disponibilização de barracas de máscaras nas pontas de feira, assim como no percurso da feira.
  • Preferencialmente o material deverá ser embalado individualmente, o que facilitará a higienização a cada Feira.
  • Presença constante de representantes da Coordenação das Feiras de Arte e Artesanato/CTUR.
  • Barracas gastronômicas neste primeiro momento terão normas específicas.

LEIA TAMBÉM:

A recomendação para os artesãos que fazem parte do grupo de risco (por exemplo, diabéticos, fumantes, pessoas com problemas respiratórios, doenças crônicas ou que tenham mais de 65 anos) e que atendem o público em suas barracas, é a de que sejam substituídos.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X