Coluna Saúde em foco fala sobre coleta infantil e como amenizar o medo nas crianças

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

A coluna Saúde em foco de hoje, assinada pela equipe do laboratório de análises clínicas Caboracy Kosop, traz informações sobre coleta infantil e como a equipe de profissionais do LabCK é treinada e capacitada para lidar com o atendimento das crianças, tornando-o seguro e atencioso. Confira.

Como fazer seus filhos vencerem o medo de agulhas

Laboratório Caboracy Kosop

Quem pensa que os exames laboratoriais são prescritos apenas para os adolescentes e adultos está enganado. Existem ocasiões nas quais as crianças pequenas (e até mesmo recém-nascidos) precisam realizar coleta de sangue para um exame, visando investigar a presença de alguma doença como anemia ou alterações no crescimento. Mas como lidar com o medo de agulha que as crianças enfrentam?

O medo de agulhas é relativamente comum entre as pessoas. A atriz e comediante Tatá Werneck, em mais de uma ocasião declarou seu medo de forma bem humorada nas Redes Sociais. Tatá, que é mãe de uma menina pequena chamada Maria, precisará agora superar seu medo também por conta da filha. O fato é que a experiência de coleta não precisa ser traumática e existem diversos dispositivos e procedimentos para garantir um procedimento seguro e com o mínimo de desconforto.

Tatá Werneck on Twitter 1 - Coluna Saúde em foco fala sobre coleta infantil e como amenizar o medo nas crianças
A atriz e comediante Tatá Werneck já falou sobre seu medo de agulhas de forma bem humorada nas Redes Sociais. (Foto: Reprodução Twitter)

Tecnologias reduzem a dor e garantem uma coleta mais segura

A primeira coisa que os pais devem saber para ficar tranquilos é que, para todos os instrumentos utilizados na coleta adulta, existe uma versão infantil. Ou seja, são utilizados tubos de coleta menores, uma vez que a quantidade de sangue a ser coletada é menor nas crianças. Os escalpes (agulhas) também são diferenciados.

No caso do Laboratório Caboracy Kosop (LabCK), as coletas de sangue infantil são realizadas utilizando um escalpe com tecnologia Ultra Touch, um dispositivo de segurança que reduz a dor em até 90%. Além disso, o laboratório conta com um equipamento chamado VeinViewer, cuja função é auxiliar a encontrar as veias projetando um feixe de luz LED, funcionando como uma espécie de GPS. Além de facilitar a coleta, o equipamento ajuda a distrair a atenção das crianças. Os profissionais de coleta também são treinados e capacitados para lidar com o atendimento das crianças, promovendo atendimento seguro e atencioso. No caso dos recém-nascidos, a coleta é feita no espaço Coleta Kids, mais reservado e equipado para o procedimento.

Watch this video on YouTube.
Dr. Cesar Kosop explica como é realizada a coleta infantil. (Vídeo: Divulgação/LabCK)

Dicas para tranquilizar seus filhos

Muitas vezes a ansiedade da criança começa antes mesmo de sair de casa, especialmente quando há na família a reprodução da crença de que cuidar da saúde é um “mal necessário”. A atitude dos pais acaba servindo como referência para os filhos, por isso é importante que se crie uma cultura mais consciente e receptiva.

Outro fato comum é o medo do desconhecido, especialmente no caso das crianças, cuja imaginação fértil tende a preencher as lacunas e alimentar o medo de agulha. Por isso, a comunicação é fundamental, os pais precisam ter uma relação aberta com as crianças, buscando explicar como será o procedimento, mas de uma forma leve e que elas compreendam.

Os ambientes hospitalares também colaboram para o desconforto. É aí que entram os profissionais de coleta, que são especialmente treinados para oferecer um atendimento acolhedor e realizar a coleta de forma segura. Nos casos de crianças mais agitadas, entretanto, os profissionais podem solicitar auxílio dos pais para segurá-las e evitar acidentes.

shutterstock 575241202 1 1024x566 - Coluna Saúde em foco fala sobre coleta infantil e como amenizar o medo nas crianças
A atitude dos pais é referência para os filhos, por isso é importante que se crie uma cultura mais consciente e receptiva. (Foto: Divulgação)

Experiência lúdica ajuda a divertir e tranquilizar os pequenos

Oferecer um ambiente acolhedor e atendimento atencioso cria uma experiência positiva para as crianças, o que facilita também nas coletas futuras. Por isso, o LabCK desenvolveu um programa de incentivo com emissão de um Certificado de Paciente Mirim, entregue às crianças de até 10 anos, como forma de premiá-los pela sua coragem.

“Acreditamos em criar uma experiência lúdica e, com isso, um vínculo afetivo com o laboratório. Por isso criamos o Doutor Kosopinho, um personagem que as crianças adoram e que conquista também os pais.” afirma Mariana Kosop, Diretora Administrativa do LabCK.

Exames infantis podem ser realizados na matriz do LabCK ou pela coleta móvel

Os exames de coleta infantil podem ser realizados na matriz do LabCK, anexa ao Hospital Angelina Caron, de segunda a sexta (das 6h às 18h) e aos sábados e domingos (das 7h às 18h). O laboratório tem seguido rigorosamente as orientações da secretaria de saúde com relação à higienização e uso de equipamentos de proteção, para garantir segurança e comodidade aos clientes.

LEIA TAMBÉM:

Se preferir, a família pode optar pelo serviço de Coleta Móvel, que cobre a área de Curitiba e região metropolitana e pode ser agendado de segunda a domingo, das 7h às 18h. O agendamento pode ser realizado pelo Whatsapp (41) 9877-8334 ou ainda pelo aplicativo Onlife (disponível na Google Play e Apple Store).

Como cada exame pode demandar diferentes períodos de jejum, em caso de dúvidas sobre os exames, a família pode entrar em contato com a Assessoria Médica e Científica do LabCK, pelo Whatsapp (41) 9877-8334.

Mais informações: labck.com.br, facebook.com/labkosop e instagram.com/labkosop.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Caroline Scoz Alves

carolina 150x150 - Coluna Saúde em foco fala sobre coleta infantil e como amenizar o medo nas crianças
Diretora Técnica da SulLaser Locações de Equipamentos Médicos e Estéticos a Laser, e Membro da Academia Americana de Laser. É proprietária do Centro de Especializado em Laser mais equipando do Paraná, A Clínica Senz. Além de ministrar treinamentos de capacitação, ela se dedica a palestras e demais atividades voltadas a área da Estética a Laser no Brasil e no exterior. Com mais de 14 anos de experiência na área, a Dra. Caroline é formada em Fisioterapia em 2004 pela UP, possui Mestrado de Tecnologia da Saúde pela PUC/PR, Curso de formação em Dermato-Funcional pela Belle Bonelli (Ludmila Bonelli em Belo Horizonte), Curso de Cosmeatria e Laser em London South Bank University; Membro da Sociedade Americana de Laser, Fellow na Universidade da Califórnia em Laserterapias, Curso de Laser terapia, Laser & Aesthetic Skin Therapy: What’s the Truth? (November 03-04, 2017) pela Harvard Medical School nos EUA, Feellow – Dr. Klaus Hoffmann em St. Josef-Hospital de Bochum na Alemanha (Março de 2018), Curso de Formação “Cynosure Laser Technology Course” em Hannover, (March, 03, 2018) pela Cynosure na Alemanha, Curso de Formação Asclepion na Heinrich-Heine-Universität Düsseldorf (Outubro de 2018).

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X