DESKTOP

Paranaense é o primeiro cirurgião brasileiro a integrar organização internacional

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

WhatsApp Image 2020 10 28 at 12.24.46 1024x682 - Paranaense é o primeiro cirurgião brasileiro a integrar organização internacional
Paulo Gustavo Kotze é o primeiro cirurgião do país e o segundo médico brasileiro a integrar a Organização Internacional para o Estudo das Doenças Inflamatórias Intestinais. (Foto: Divulgação)

O coloproctologista paranaense Paulo Gustavo Kotze é o primeiro cirurgião do país e o segundo médico brasileiro a integrar a Organização Internacional para o Estudo das Doenças Inflamatórias Intestinais (International Organization For the Study of Inflammatory Bowel Disease). A oficialização ocorreu no último dia 20 de outubro e ele foi convidado a ministrar uma aula na instituição no próximo encontro presencial da entidade, em abril de 2021, em Bordeaux, na França. O primeiro médico brasileiro a integrar a organização foi Flávio Steinwurz, de São Paulo, um dos pioneiros do país na especialização no tratamento dessas doenças.

Paulo Kotze é fundador do Serviço de Coloproctologia do Hospital Universitário Cajuru, cirurgião do Hospital Marcelino Champagnat e professor do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da PUCPR. A coloproctologia é uma especialidade da medicina focada no diagnóstico e tratamento das doenças que acometem o intestino delgado, intestino grosso (cólons), reto e ânus.

LEIA TAMBÉM:

Ele foi convidado a ministrar sua aula com o tema “Interação médico-cirúrgica: uma visão holística das doenças inflamatórias intestinais”. Ele vai falar sobre o perfil de sua linha de pesquisa na doença de Crohn e Retocolite Ulcerativa na condição de especialista multidisciplinar, que atua tanto na parte clínica quanto cirúrgica.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

1 comentário em “Paranaense é o primeiro cirurgião brasileiro a integrar organização internacional”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X