DESKTOP

Hospital curitibano oferece cirurgia de mudança de voz

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Tempo de leitura: 2 minutos

Da Redação

tireoplastia em curitiba
O Hospital IPO, de Curitiba, está realizando um procedimento cirúrgico inédito para quem enfrenta problema de voz, a tireoplastia. (Foto: Divulgação)

Aquela mudança de voz característica da adolescência de meninos é um incômodo temporário. Com o passar da puberdade, a voz encontra um timbre certo e tudo se estabelece. Porém, para muita gente, o tom da voz pode ser um problema que não é resolvido de forma natural. A partir disso, o Hospital IPO, de Curitiba, está realizando um procedimento cirúrgico inédito para quem enfrenta esse tipo de problema, a tireoplastia.

A cirurgia é feita na cartilagem da tireoide, ou cartilagem principal da laringe. Mulheres trans, por exemplo, muitas vezes conseguem obter até uma nova identidade, mas encontram dificuldades para transpor também a voz no processo de transição do gênero masculino para o feminino.

“A tireoplastia muda a posição ou a tensão da prega vocal”, explica o médico Guillherme Simas Catani, otorrinolaringologista do hospital. Com a cirurgia, é possível acabar com rouquidão devido a uma paralisia nas pregas vocais ou ajustar vozes muito finas ou graves demais de acordo com a necessidade do paciente.

LEIA TAMBÉM:

O procedimento cirúrgico – com quatro tipos – é feito por meio de uma pequena incisão no pescoço, e costuma levar entre 1h30 a 2h. Conheça os quatro tipos do procedimento:

Mais comum entre eles, o tipo 1 é empregado em casos de paralisia das pregas vocais, a que provoca rouquidão. A paralisia pode ocorrer por causa de algum procedimento cirúrgico na glândula tireóide (e não na cartilagem) ou na coluna cervical. Em alguns casos, a paralisia acontece de modo espontâneo. “Nesse caso, aproximamos a prega paralisada a uma que funciona normalmente e a voz volta ao normal”, explica Catani.

Já o tipo 2 é o mais comum para pacientes com disfonia espasmódica, ou espasmos nas pregas vocais, quando uma prega vocal fica muito próxima da outra. De causa desconhecida, pode acontecer depois de um período de uso demasiado da voz, após infecção respiratória ou depois de um quadro de estresse emocional.

A mudança de tensão nas pregas vocais, caso da tireoplastia tipo 3, é recomendada para homens cuja voz é muito fina. “É como afinar a corda de um violão”, explica o médico. Costuma ser usada no caso de homens trans, embora também nesse tipo de tratamento, a aplicação de hormônio masculino resolva o problema.

O tipo 4 é o mais indicado para mulheres trans, que desejam adaptar a voz à condição feminina que assumiram. O procedimento permite que a mulher, já feita a transição de gênero, passe a ter um timbre de voz mais agudo.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X