DESKTOP

Dez empresas disputam duplicação da BR-277 em Guarapuava; obra terá 3,5 km de extensão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

 A abertura das propostas ocorreu na última sexta-feira na sede do DER-PR. (Foto: Divulgação/DER-PR)

Dez empresas e consórcios estão participando da licitação para executar as obras de duplicação da BR-277 em Guarapuava, na região Centro-Sul do estado. O valor inicial previsto era de R$ 105 milhões. Entre as propostas apresentadas, a de menor valor foi de R$ 73,2 milhões e a de maior valor de R$ 99,3 milhões. O Departamento Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) abriu os envelopes com as propostas na sexta-feira (11). A comissão de licitação responsável pelo processo agora analisará todas as propostas e publicará uma classificação, abrindo período de cinco dias úteis para recursos e outros cinco para contrarrazões aos recursos, caso algum seja interposto. Após estes prazos e o julgamento dos recursos, será marcada a data de sessão de abertura dos envelopes com os documentos de habilitação das três melhores propostas classificadas.

As obras serão executadas em ambos os sentidos da rodovia, do quilômetro 345,2 ao 349,1, numa extensão de 3,6 quilômetros, resultando em duas pistas de rolamento com 7,20 metros de largura cada (duas faixas de tráfego com 3,60 metros), com faixas de segurança de 60 centímetros ao centro, onde serão implantadas barreiras de concreto New Jersey, e acostamentos externos de 2,50 metros. Serão implantadas também uma via marginal direita, com 3,64 quilômetros de extensão, e uma marginal esquerda, com 3,84 de extensão, entre outras obras.

LEIA TAMBÉM:

Os recursos para executar a obra foram garantidos pelo contrato de financiamento de R$ 1,6 bilhão que o governo do Paraná captou junto ao Banco do Brasil e à Caixa Econômica Federal, assinado em setembro deste ano. O projeto executivo de engenharia foi cedido ao DER-PR por meio do acordo de leniência entre a concessionária de pedágio Ecocataratas e o Ministério Público Federal (MPF).

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X