DESKTOP

Associação Comercial pede liberação do comércio no próximo domingo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Em nota pública, a ACP pede às autoridades municipais de Curitiba e RMC a adoção de normas mais rigorosas no transporte público. (Foto: Divulgação)

A Associação Comercial do Paraná voltou a cobrar rigor na fiscalização do transporte coletivo de Curitiba e municípios vizinhos. Em nota pública, a entidade pede às autoridades municipais da capital e região metropolitana a adoção de normas mais rigorosas no transporte público. A entidade também reivindica permissão para abertura do comércio da capital no próximo domingo (20) como forma de diminuir o risco de aglomerações nas lojas nos dias anteriores ao Natal. “A ACP tem feito campanhas para estimular as pessoas a anteciparem (sic) suas compras e espera o bom senso das autoridades no sentido de que seja liberado o funcionamento do comércio no próximo domingo em Curitiba, a exemplo do que já é permitido nas cidades da região metropolitana”, diz a nota, assinada pelo presidente da entidade, Camilo Turmina.

A ACP também manifestou posição contrária à proposta de lockdown feita por sindicatos de trabalhadores em audiência pública no Ministério Público do Trabalho. “Conforme os órgãos de fiscalização podem constatar, não há aglomerações nos estabelecimentos de comércio não essencial de Curitiba”, prossegue a nota. Ainda de acordo com o texto, os comerciantes estão sendo rigorosos, não permitindo a presença nas lojas de clientes acima dos limites estabelecidos pelos protocolos sanitários. Confira a íntegra da nota da Associação Comercial do Paraná.

Nota Pública – Transporte Coletivo

A Associação Comercial do Paraná pede às autoridades municipais de Curitiba e Região Metropolitana a adoção de normas mais rigorosas no transporte público.

Diante do crescimento de casos de covid-19 registrado nas últimas semanas, é fundamental que se volte a adotar limites para a ocupação dos ônibus de forma a possibilitar o distanciamento tanto internamente nos veículos quanto nos terminais urbanos.

Como já se manifestou em outras ocasiões, a ACP sugere que os ônibus transportem apenas passageiros sentados e que as linhas de maior movimento sejam reforçadas nos horários de pico.

Os ônibus não são o único meio de transporte. Grupos de trabalhadores podem se organizar em caronas solidárias e também se locomover em pequenos grupos em carros de aplicativos. Para tanto, a ACP tem orientado seus associados a substituir o vale transporte por dinheiro, dando ao funcionário o direito de escolher como irá se deslocar para o trabalho.

Por outro lado, a entidade discorda da proposta de lockdown manifestada por sindicatos de trabalhadores em audiência pública no Ministério Público do Trabalho. Conforme os órgãos de fiscalização podem constatar, não há aglomerações nos estabelecimentos de comércio não essencial de Curitiba.

Os empresários estão sendo rigorosos, não permitindo a preença em suas lojas de clientes acima dos limites estabelecidos pelos protocolos sanitários. Além disso, o consumidor mudou seus hábitos, fazendo pesquisas pela internet, e agora permanece pouco tempo no interior das lojas.

A ACP tem feito campanhas para estimular as pessoas a anteciparem suas compras e espera o bom senso das autoridades no sentido de que seja liberado o funcionamento do comércio no próximo domingo em Curitiba, a exemplo do que já é permitido nas cidades da região metropolitana. Com esta medida, o consumidor ganharia mais tempo para suas compras, diminuindo assim o risco de aglomerações nos dias anteriores ao Natal.

Camilo Turmina
Presidente

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X