DESKTOP

Greca vai deixar Ministério da Saúde decidir qual vacina aplicar nos curitibanos

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
Tempo de leitura: 2 minutos

Da Redação

O prefeito Rafael Greca participou da videoconferência com o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello. (Foto: Ricardo Marajó/SMCS)

O prefeito Rafael Greca declarou nas redes sociais, nesta quinta-feira (14), que caberá ao Ministério da Saúde decidir qual vacina será aplicada nos curitibanos. Em sua página do Facebook, ele respondeu à pergunta de uma seguidora sobre o tema: “Dependemos do Senhor Ministro da Saúde”. Greca participou da reunião da Frente Nacional de Prefeitos por videoconferência realizada nesta quinta-feira. Outros 15 gestores de capitais e das 170 maiores cidades do país ouviram as considerações do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, sobre o calendário nacional de vacinação. A compra dos imunizantes esteve em discussão e o governo federal deve estudar o pedido de autorização para que os municípios importem as vacinas.

Astrazeneca e Coronavac

Na reunião, Pazuello informou que em janeiro está prevista a distribuição para os municípios de 8 milhões de doses: 2 milhões da Astrazeneca e 6 milhões de doses da Coronavac.

A liberação para uso emergencial dessas duas vacinas deve ser decidida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), no próximo domingo (17), segundo o ministro, e que na quarta-feira (20) a vacinação começará simultaneamente em todo o Brasil. Todo o detalhamento do cronograma de número de doses para os estados e grupos de vacinação será feito na terça-feira (19) pelo Ministério da Saúde. O ministro adiantou que a vacinação deve começar prioritariamente pelos profissionais de saúde, idosos e indígenas.

LEIA TAMBÉM:


Pavilhão da cura

Em Curitiba, a vacinação será feita no Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, espaço que reúne condições técnicas para segurança e controle da vacinação. “Ao invés de um hospital de campanha, teremos ali (no pavilhão do Barigui) um centro de cura”, falou Greca. Em Curitiba são 70 mil profissionais de saúde da rede pública e privada que devem ser vacinados nessa etapa. A cidade tem ainda cerca de 350 mil idosos acima de 60 anos.

A vacinação será agendada pelo aplicativo Saúde Já, da Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba. O vice-prefeito de Curitiba Eduardo Pimentel também participou da reunião.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

1 comentário em “Greca vai deixar Ministério da Saúde decidir qual vacina aplicar nos curitibanos”

  1. Vergonhosa essa posição. Parece que e mais para cumprri compromisso de campanha com a malta lavajatista-bolsonarista que outra coisa.
    Omissão tem preço . E quem vai pagar e o povo de Curitiba que ainda acredita nesse bufão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X