DESKTOP

Abrabar diz que blitz contra estabelecimentos levou pânico à idosa em Curitiba

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
Operação Ação Integrada de Fiscalização Urbana realizada em estabelecimentos de Curitiba na última quinta-feira (07). Na imagem, fiscais autuam uma casa de jogos de azar na Praça Rui Barbosa. (Foto: Daniel Castellano/SMCS)

A Abrabar (Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas), com sede em Curitiba, denunciou neste fim de semana uma operação de fiscalização realizada na última sexta-feira (8) na casa da mãe da deputada estadual Cantora Mara Lima (PSC), Teresa Nonato dos Santos. Segundo nota distribuída pelo presidente da entidade, Fábio Aguayo, os integrantes da Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) promoveram uma blitz em um imóvel na Rua Riachuelo, no Centro, onde, segundo denúncia, funcionaria um bingo. Ainda de acordo com Aguayo, sem verificar a veracidade dos fatos, os agentes, com forte aparato de veículos e armas, se postaram em frente ao prédio ordenando em voz alta a saída da senhora do imóvel. “Foi uma ação atabalhoada e cheia de equívocos”, disse o presidente da Abrabar.

De acordo com ele, dentro do imóvel estavam, além da mãe da deputada, duas crianças, netas da dona do imóvel, que entraram em pânico. A ação causou um grande desconforto emocional nos familiares da deputada, segundo Fábio Aguayo, que se solidarizou com a família. “Até agora não temos conhecimento de um pedido de desculpa público e formal na imprensa dos responsáveis ou autoridades aos familiares da deputada e sua mãe”, afirmou. Para ele, a ação ocorreu sem qualquer checagem prévia ou apuração correta da denúncia. “A operação, deflagrada para averiguar eventos clandestinos ou serviços ilegais, chegou de forma intimidadora”, protestou.

A deputada Cantora Mara LIma (PSC) conversou com nossa reportagem e confirmou a forma arbitrária da abordagem policial . “Minha mãe tem 86 anos e estava cuidando de dois netos pequenos durante a chegada da polícia. Ela ficou muito assustada, sem entender o que estava acontecendo”, falou ela.

A deputada disse ainda que dona Teresa já estava deitada quando mais de vinte carros estacionaram em frente a casa. “As crianças ficaram apavoradas e desceram para abrir a porta. Um dos policiais perguntou se ali funcionava um bingo. Elas responderam que havia um engano”.

“Se havia algum bingo naquela região, deveria ter sido feita uma investigação melhor. Eu liguei para o secretário de segurança pública do estado, juntamente com outros deputados que prestaram solidariedade, pedindo uma retratação, o que não aconteceu até o presente momento. Tenho admiração pela polícia militar, pela guarda municipal, porque tem homens e mulheres realmente comprometidos nessas corporações, mas nesse operação, especificamente, houve falha”, finalizou ela.

LEIA TAMBÉM:

O presidente da Abrabar lembrou que desde o início da pandemia a entidade tem denunciado a desproporcionalidade das operações contra o setor. “Enquanto os verdadeiros ninhos de propagação (de Covid-19) sequer são incomodados, ou por se tratarem de locais de responsabilidade do poder público ou de grande poder econômico, que na maioria das vezes são classificados como essenciais”, disse. Ele promete questionar judicialmente a lei que entrou em vigor em Curitiba, que amplia as punições aos estabelecimentos.

Procurada, a assessoria de imprensa da Polícia Militar informou que as equipes que participavam da operação receberam uma denúncia de que no local funcionava um bingo clandestino. Ao chegaram até a residência, encontraram a casa fechada. A assessoria informou ainda que, caso haja uma nova denúncia de funcionamento irregular de bingo no local, poderá acontecer nova fiscalização.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

blank

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X