Barracas da feirinha do Largo da Ordem serão substituídas por novas a partir do ano que vem

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

A substituição das atuais pelas novas irá acontecer a partir de março do ano que vem. (Foto: Divulgação/Ippuc)

A feirinha do Largo da Ordem vai ganhar novas barracas, que irão substituir as atuais a partir de março do ano que vem. O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc) apresentou nesta quinta-feira (21), ao prefeito Rafael Greca o protótipo da nova barraca. A proposta, validada por ele, é a da substituição das atuais barracas, já desgastadas pelo tempo. O protótipo tem estrutura projetada com sistema retrátil de montagem e desmontagem e cobertura para proteger os feirantes e clientes do sol e da chuva.

A nova barraca tem armação em aço galvanizado, aparadores em madeira certificada e conta com lonas em laminado em PVC flexível colorido, reforçado com tecido de poliéster de alta tenacidade, na cobertura e nas laterais. Cada barraca tem 4m² de área útil, sendo a cobertura 2×3 para proteger do sol e da chuva.

“Duas pessoas conseguem montar a barraca em cerca de dois minutos. Ela foi projetada para garantir mais conforto aos feirantes e clientes e praticidade na montagem, no transporte e no armazenamento”, explica o autor do protótipo, o arquiteto João Guilherme Dunin, do setor de Projetos do Ippuc. Segundo ele, a escolha dos materiais foi pensada para a utilização em longo prazo e para ter durabilidade, resistência e ser de fácil substituição, se necessário. Para criar o protótipo, Dunin se inspirou em uma gravura do pintor neoclássico francês Jean-Baptiste Debret, datada de 1835, que retrata vendedores de carvão e de milho.

O novo protótipo tem 4m² de área útil, sendo a cobertura 2×3 para proteger do sol e da chuva. (Foto: Divulgação/Ippuc)

“As novas barracas aliam a sua utilidade à beleza. São exemplos de design curitibano. A partir do aniversário de 329 anos de Curitiba, em 2022, farão parte da nossa identidade cultural”, afirmou Greca ao conhecer o protótipo. O Instituto Municipal do Turismo está elaborando um termo de referência que fará parte do edital de licitação para contratação da fabricação das estruturas. A estimativa é de que sejam feitas de 1,3 mil a 1,4 mil barracas para atender aos feirantes, custeadas com recursos do Tesouro Municipal.

A disposição das novas barracas irá respeitar a faixa acessível implantada no Centro Histórico de Curitiba, bem como terá afastamento entre elas, garantindo a mobilidade dos trabalhadores e visitantes da feira. Com o novo desenho proposto, a entrada dos feirantes será pela parte de trás da barraca.

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X