Chef curitibana assina cardápio das pousadas de Bruno Gagliasso em Fernando de Noronha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Gabriela Fialho

A chef curitibana Gabriela Freire assinou o cardápio das pousadas Maria Bonita e Maria Flor, em Fernando de Noronha. (Foto: Divulgação/Carol Sábio)

As pousadas Maria Bonita e Maria Flor, em Fernando de Noronha (PE), do ator Bruno Gagliasso junto com alguns sócios, fazem o maior sucesso entre as celebridades e na internet. O que muitos não sabem é que o cardápio de café da manhã, única refeição servida exclusivamente para os hóspedes nas duas pousadas, é assinado pela chef curitibana Gabriela Freire de 29 anos, filha do premiado chef Celso Freire.

Segundo Gabriela, a história dela com a ilha começou há 18 anos quando ia pra lá com seu pai a passeio. Mas em 2016, quando inaugurou a primeira pousada, Maria Bonita, que tem como um dos sócios um grande amigo da família também de Curitiba, ela recebeu o convite para elaborar o primeiro cardápio. “Esse convite foi incrível, porque além de um reconhecimento e de uma valorização do meu trabalho, para mim é maravilhoso ter mais um motivo para ir para Fernando de Noronha”, afirma a chef.

LEIA TAMBÉM:

O cardápio dos dois empreendimentos possui praticamente a mesma ideia com algumas adequações, sem fugir do conceito inicial criado. Na recém-inaugurada Maria Flor, por exemplo, o menu já começou à la carte e possui opções mais saudáveis, com louças mais modernas que combinam com a arquitetura da pousada. “Nos dois cardápios busquei trazer o regionalismo nos ingredientes e surpreender com novas técnicas, combinações e apresentações. Vamos dos clássicos ovos às mais variadas tapiocas; do “PF”nordestino com cuscuz, carne seca, queijo coalho e manteiga de garrafa ao iogurte natural preparado diariamente, e dos nossos bolos tentadores aos pães de queijo coalho fresquinhos”, explica.

Hoje, tudo é servido à la carte, criando quase um menu degustação de café da manhã, com opções para todos os gostos. Entre os sucessos está a tapioca rendada, que possui uma “renda” de queijo coalho por fora. “Existe todo um cuidado na porção de queijo, goma de tapioca e recheio” conta.

Além da criação dos cardápios, Gabriela ajudou na estruturação da cozinha e na escolha das louças das duas pousadas, que são da Germer, marca de porcelanas de Campo Largo, na região metropolitana de Curitiba.

Logística dos alimentos

Café da manhã Maria Flor
O cardápio das duas pousadas possui o regionalismo nos ingredientes. (Foto: Divulgação/Carol Sábio)

Uma curiosidade que Gabriela relata é sobre o transporte dos alimentos, que para ela foi um dos maiores desafios. A ilha de Fernando de Noronha está localizada a 545 quilômetros da capital Recife e isso dificulta a logística de chegada dos insumos. “Todo o transporte geralmente é feito de barco, existe uma antecedência de compras e se não nos programamos podemos ficar sem. Tudo na ilha é muito caro, porque realmente tem um custo alto para chegar lá”, conclui.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X