Clube Curitibano e incubadora de arquitetos abrem concurso para revitalizar Centro de Integração

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Centro de Integração do clube curitibano
O Centro de Integração do clube, que está parado há alguns anos, já chegou a receber mais de 5 mil pessoas por dia. (Foto: Divulgação/Marcelo Krelling)

O Clube Curitibano está prestes a definir o projeto de revitalização de uma de suas áreas mais nobres, localizada na sede Barão, na Avenida Getúlio Vargas, no Água Verde. Com mais de 600 m², o Centro de Integração do clube, que está parado há alguns anos, já chegou a receber mais de 5 mil pessoas por dia. Agora, um estudo de viabilidade realizado por arquitetos do Atelier 1901, incubadora para arquitetos e urbanistas recém-formados, trouxe possibilidades inovadoras de uso para a área. Por causa do novo decreto do estado, as quatro sedes do clube estão fechadas e as atividades estão suspensas no período de 27 de fevereiro a 7 de março. Até a última sexta-feira (26), o clube recebia sócios com restrições para atividades sociais e esportivas.

Resultado de um mês de imersão no Curitibano, o estudo traz um diagnóstico sobre as necessidades e demandas dos sócios e do entorno da sede Barão. O trabalho também servirá de base para um concurso que será dirigido a arquitetos e estudantes de arquitetura dos estados do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e São Paulo para a eleição do melhor projeto de revitalização da área. Direção e sócios do clube participarão da escolha do projeto final.

LEIA TAMBÉM:

As inscrições para o concurso começaram nesta segunda-feira (01) e podem ser realizadas no site do Atelier 1901 (www.atelier1901.com.br) até 15 de março. Mais informações e regulamento também estão disponíveis no site da incubadora.

Estudo de viabilidade

O Atelier 1901 sugeriu aos arquitetos não só propor novos usos para a área ociosa, mas também negócios sustentáveis e tecnicamente viáveis. (Foto: Divulgação/Marcelo Krelling)

Para o estudo de viabilidade apresentado ao clube, o Atelier 1901 promoveu um workshop prático sobre Service Design (design de serviço, em português), que permitiu aos arquitetos não só propor novos usos para a área ociosa, mas também sugerir negócios sustentáveis e tecnicamente viáveis.

O Atelier 1901 é um modelo de negócio inovador lançado no fim de 2019 em Curitiba. A incubadora procura auxiliar jovens profissionais a dar os primeiros passos em suas carreiras, promovendo a capacitação por meio da prática na elaboração de projetos e da assessoria de arquitetos mais experientes. Ao longo do seu primeiro ano, o Atelier 1901 já desenvolveu dezenas de projetos para atender demandas específicas de diferentes clientes, comerciais ou residenciais. Uma das práticas mais usadas para essas demandas é a realização de maratonas criativas envolvendo seus incubados.

“O formato tem sido muito utilizado por clientes que buscam não só receber diferentes propostas para decidir por uma, mas porque possibilita o acesso a uma variedade de conceitos e ideias que abusam da criatividade e, muitas vezes, surpreendem”, diz Ismael Gustavo Zanardini, idealizador do Atelier 1901, ao lado de Thatiane Botto de Barros, sócios do Studio BaZa Arquitetura e Interiores.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X