Com pandemia sob controle, Curitiba prorroga bandeira amarela por mais 15 dias

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Com a redução dos casos e óbitos por Covid-19 devido à vacinação, Curitiba segue em bandeira amarela. (Foto: Divulgação)

Sob bandeira amarela há 147 dias, Curitiba manteve as medidas restritivas de combate à pandemia de Covid-19 e prorrogou as regras atualmente vigentes por mais 15 dias. O decreto 1.970/2021, que prorroga as medidas do anterior 1.850/2021, foi publicado nesta quinta-feira (2) e começa a valer a partir da publicação, com vigência até 16 de dezembro.

O uso da máscara continua obrigatório em espaços de uso público ou de uso coletivo da cidade. Também foi mantida a regra que proíbe o consumo de bebidas alcóolicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato.

Indicadores

Segundo a avaliação do Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal da Saúde, embora o cenário local da pandemia seja positivo nos últimos 14 dias, é necessário manter cuidados por causa da nova variante, ômicron. A média móvel do número diário de casos novos apresentou queda de 22,5% nas últimas duas semanas. O mesmo ocorreu com a média móvel do número de mortes por data de divulgação, que apresentou redução de 10% no mesmo período. Também houve queda de 11,5% na média móvel do número de casos ativos no período.

A análise dos dados epidemiológicos da última semana (de 23 a 26 de novembro), mostrou, porém, ligeira alta na pontuação geral da bandeira, ficando em 1,39. No período de publicação do decreto anterior, a bandeira havia alcançado pontuação de 1,35, a melhor desde o lançamento do painel de avaliação da Secretaria Municipal da Saúde.

De acordo com a pasta, a ligeira alta não significa recrudescimento da pandemia, uma vez que foi motivada especificamente pela influência no indicador de leitos, pois houve desativação de leitos exclusivos de Covid-19 que não estavam sendo utilizados. Mesmo com a desativação desses leitos e com a retomada de outros atendimentos eletivos e emergenciais eletivos, as taxas de ocupação permanecem baixas.

Na quarta-feira (01), a taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos SUS para Covid era de 33%, com 40 pacientes internados; e nos leitos clínicos de 35%, também com 40 pacientes internados. Atualmente, a capital conta com 120 leitos de UTI exclusivos e 144 leitos clínicos exclusivos no SUS Curitibano. Em maio e junho deste ano, o município chegou a contar com 548 leitos de UTI exclusivos e 746 leitos clínicos exclusivos.

Veja como ficam as principais atividades

Atividade suspensa

•    Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato.

Atividades liberadas com uso obrigatório de máscara e respeitando a capacidade de público prevista no Certificado de Licenciamento do Corpo de Bombeiros (CLCB)

•    Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;
•    Atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, saunas, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;
•    Academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;
•    Restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;
•    Lojas de conveniência em postos de combustíveis;
•    Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;
•    Mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;
•    Feiras livres;
•    Parques infantis e temáticos;
•    Feiras de artesanato, cinemas, museus, circos e teatros para apresentação musical ou teatral;
•    Casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, salões de festas em clubes sociais e condomínios e estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;
•    Eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios;
•    Mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;
•    Serviços de call center e telemarketing;
•    Igrejas e templos;
•    Eventos esportivos profissionais com público externo e de apresentação teatral ou musical em espaços abertos.

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X