DESKTOP

Cores transformam muros da APPAM em verdadeiras obras de arte

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

APPAM
Os artistas curitibanos André Mendes e Tom + Amor trabalharam voluntariamente com profissionais da unidade e seus familiares para colorir o lado externo da APPAM. (Foto: Divulgação)

A alegria nasce de coisas simples, principalmente quando é resultado de boas intenções. Os muros do Programa de Apoio, Proteção e Assistência às Crianças e Adolescentes com Mielomeningocele (Appam) – Centro de Reabilitação e Convivência do Hospital Pequeno Príncipe – se transformaram em verdadeiras obras de arte. Em uma visita à instituição para desenvolver outro projeto, o artista André Mendes viu nos muros brancos do centro de reabilitação e convivência uma oportunidade para criar. A ação voluntária de Mendes contou com a colaboração do artista curitibano Tom + Amor, profissionais do programa e seus familiares.

As paredes receberam pinturas com desenhos lúdicos inspirados na fauna e flora paranaense e também na arte da fachada do Pronto Atendimento SUS do maior hospital pediátrico do país. A pintura da fachada também foi realizada por Mendes e que teve como mote a obra de Antoine de Saint-Exupéry. “É muito gratificante poder participar com os projetos propostos pelo Pequeno Príncipe. Tenho muita admiração por todas as pessoas que trabalham e dedicam suas vidas para causas tão nobres, ajudando crianças e suas famílias. Fizemos um trabalho em equipe, onde todos estamos apoiando com a nossa melhor e mais sincera forma de amor”, conta o artista.  

Sobre a APPAM

Com sede em São José dos Pinhais, o programa possui mais de 300 famílias cadastradas que recebem gratuitamente todos os atendimentos necessários às crianças e adolescentes diagnosticados com a doença congênita que provoca uma má-formação na coluna vertebral. O programa é referência em atendimento multidisciplinar com oferta de fisioterapia, hidroterapia, psicologia além das atividades de lazer, educacional e assistência social.

LEIA TAMBÉM:

Durante a pandemia de coronavírus, os atendimentos realizados pela unidade têm acontecido de maneira remota por meio de teleconsulta.  As entregas de materiais médicos para a continuidade do tratamento domiciliar foram adaptadas para o modelo drive-thru e acontecem mensalmente sempre com um tema lúdico. Já o Programa Brincadeira tem Hora foi adaptado para manter as tarefas desenvolvidas nas bibliotecas. Com duração de 30 minutos, semanalmente, são veiculados vídeos nos grupos de familiares do com diversas atividades.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X