Curitiba libera funcionamento de atividades sem restrição de horário

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

O novo decreto que prorroga a bandeira amarela será publicado pela prefeitura de Curitiba ainda nesta quarta-feira (28). (Foto: Divulgação)

Curitiba mantém a bandeira amarela pela quarta semana consecutiva e passa a permitir o funcionamento das atividades sem restrições de horários, além de outras medidas menos restritivas. A decisão foi tomada pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria da Saúde após avaliação positiva dos indicadores. A cidade mantém a nota 1,7, índice atingido pela primeira vez no dia 7 de julho.

As novas regras estarão no decreto municipal 1.210, que será publicado ainda nesta quarta-feira (28). O decreto começa a valer a partir da publicação e terá duração de três semanas, até o dia 18 de agosto. “Nós entendemos que após 21 dias de estabilidade da nota e redução gradativa dos indicadores, podemos dar um passo à frente e diminuir as restrições de funcionamento das atividades”, esclareceu a secretária municipal da saúde, Márcia Huçulak.

O que muda

Após a avaliação dos dados da semana epidemiológica de 21 a 27 de julho, uma das definições foi permitir o funcionamento das atividades sem restrições de horários para abertura e fechamento, desde que seguidos os protocolos específicos de controle da pandemia. Feiras de varejo e feirões podem voltar a ser realizados seguindo protocolos específicos e limitação de fluxo de pessoas.

Também houve a liberação de consumo de bebidas alcoólicas nas feiras de artesanato e livres, porém trata-se de uma exceção para esses espaços: o consumo de bebidas alcóolicas em demais locais públicos continua proibido. 

O documento também libera a ampliação de público para casas de festas e recepções, que antes era de 50 pessoas e agora passou para, no máximo, 300 pessoas. De acordo com o empresário Júlio César Hezel, presidente da Associação Brasileira de Eventos (Abrafesta), entidade que representa os fornecedores dos diversos segmentos do setor de eventos sociais e corporativos do Brasil, o decreto veio para dar um alívio ao setor. “Depois de 17 meses meses parados. sendo tratados de forma diferente pelo poder público, vamos retomar as atividades. Nós esperávamos essa decisão da prefeitura. Será uma volta lenta porque nosso setor é diferenciado, exige planejamento. Não é simplesmente abrir as portas e pronto”, disse ele.

O empresário, que também é dono do Buffet Nuvem de Côco, explica que pelo menos 25 setores da economia dependiam diretamente dessa liberação. “Esperamos que o poder público entenda que não pode mais ficar nesse abre e fecha. Acreditamos que a sociedade irá nos apoiar e temos condições de fazer os eventos com responsbaildide, segurança e rastreabilidade. Isso é bem diferente de outros estabelecimentos, como por exemplo, um cinema ou um supermercado. Em um evento temos como controlar e exigir todos os protocolos de saúde”.

O novo decreto libera a realização de eventos para até 300 pessoas. (Foto: Divulgação)

As novas regras valem também para eventos corporativos, que antes podiam receber até 100 pessoas. A limitação máxima, agora de 300 pessoas, deve respeitar a regra de 50% da ocupação do local. Com isso, só poderão receber o limite máximo de pessoas os espaços com capacidade de público acima de 600 pessoas.

Fim do toque de recolher

A taxa de ocupações dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 segue em queda. Mesmo com desativação de leitos, a ocupação está em 65% nesta quarta-feira (28/7). Há uma semana, quando havia 19 leitos a mais, a taxa era de 68%. O número de pessoas internadas em leitos clínicos também diminuiu, na semana anterior eram 323 pessoas internadas, hoje são 290.

A melhora expressiva no sistema de resposta hospitalar possibilitou o fim do toque de recolher, medida que foi adotada para reduzir a circulação de pessoas e os traumas por acidentes e violências nas ruas, dando fôlego para os serviços de saúde se concentrarem no acolhimento aos pacientes da Covid-19.

Com mais de 50% da população imunizada com pelo menos uma dose da vacina anticovid e adoção dos protocolos de responsabilidade sanitária e social, Curitiba, vive um cenário de estabilidade da pandemia.

O número de casos ativos segue caindo, segundo o último boletim diário. Nesta terça-feira havia 6.718 pessoas na fase ativa da doença, uma queda de 5,9% em relação há 14 dias. O número indica a quantidade de pessoas com capacidade de transmissão do vírus. A média móvel de novos casos nos últimos sete dias está em 474, uma diminuição de 36,5% em relação há 14 dias. 

Veja como ficam as principais atividades

Atividades suspensas

– Estabelecimentos destinados ao entretenimento, tais como casas de shows, casas noturnas e atividades correlatas;

– Eventos esportivos com público externo;

– Tabacarias;

– Reuniões com mais de 300 (trezentas) pessoas, incluindo comemorações, confraternizações e encontros familiares, em espaços localizados em bens públicos ou privados;

– Consumo de bebidas alcoólicas em vias públicas, salvo em feiras livres e de artesanato. 

Atividades com restrições

– Atividades comerciais de rua não essenciais, galerias, centros comerciais e shopping centers;

– Atividades de prestação de serviços não essenciais, tais como escritórios em geral, salões de beleza, barbearias, atividades de estética, serviços de banho, tosa e estética de animais, floriculturas e imobiliárias;

– Academias de ginástica e demais espaços para práticas esportivas individuais e coletivas;

– Restaurantes, lanchonetes, panificadoras, padarias, confeitarias e bares;

– Lojas de conveniência em postos de combustíveis;

– Comércio varejista de hortifrutigranjeiros, quitandas, mercearias, sacolões, distribuidoras de bebidas, peixarias, açougues, e comércio de produtos e alimentos para animais;

– Mercados, supermercados, hipermercados e lojas de material de construção;

– Feiras livres;

– Parques infantis e temáticos: sendo permitida apenas a utilização de equipamentos/brinquedos e espaços lúdicos com o distanciamento mínimo de 1,5 (um metro e meio) entre os usuários, em todas as direções, realizada a assepsia após o uso por cada pessoa ou grupo de pessoas, vedado o funcionamento de piscina de bolinhas;

– Feiras de artesanato, teatros, cinemas, museus e circos;

– Casas de festas e de recepções, incluídas aquelas com serviços de buffet, e salões de festas em clubes sociais e condomínios: autorizado até 300 (trezentos) convidados, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;

– Eventos corporativos, de interesse profissional, técnico e/ou científico, como jornadas, seminários, simpósios, workshops, cursos, convenções, fóruns e rodadas de negócios: autorizado até 300 (trezentos) participantes, desde que seja respeitada a capacidade de ocupação de 50% da capacidade do local;

– Mostras comerciais, feirões e feiras de varejo;

– Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;

– Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;

– As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 440, de 30 de abril de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza;

– Hotéis, resorts, pousadas e hostels deverão funcionar com até 70% (setenta por cento) da sua capacidade de público;

– Nos parques e praças, fica permitida a prática de atividades individuais e coletivas ao ar livre, com uso de máscaras, observado o distanciamento social;

– As igrejas e os templos de qualquer culto deverão observar a Resolução n.º 440, de 30 de abril de 2021, da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, que regulamenta a realização das atividades religiosas de qualquer natureza.

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X