Curitiba promove sanitização nas escolas municipais para a volta às aulas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

O retorno das aulas presenciais nas escolas municipais será em duas etapas, previstas para 19 de julho e 2 de agosto. (Foto: Lucilia Guimarães/SMCS)

Várias escolas municipais de Curitiba estão passando por uma limpeza especial com amônia quaternária, com foco no retorno das aulas em formato híbrido, presenciais e online através de videoaulas da TV Escola Curitiba. Nestes locais a volta das atividades está agendada para 19 de julho. São 100 escolas e Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) com estudantes com maior dificuldade de acesso ao ensino remoto.

Assim que essa primeira fase da sanitização estiver concluída, os demais CMEIs, escolas e Centros Municipais de Atendimento Educacional Especializado (CMAEEs) receberão o serviço, em diferentes datas. Nestas 315 unidades as aulas voltam a partir do dia 2 de agosto.

LEIA TAMBÉM:

A secretária municipal da Educação, Maria Sílvia Bacila, explica que a escolha do formato de ensino (híbrido ou totalmente remoto) será das famílias, que de 19 a 23 de julho poderão preencher o formulário na página da Secretaria Municipal da Educação. Devido à pandemia, as famílias poderão optar por dois formatos, o híbrido (presencial + videoaulas) ou o remoto (videoaulas e kits pedagógicos individuais).

Procedimento de rotina

Desde o ano passado, a prefeitura de Curitiba faz periodicamente a sanitização das edificações onde estão instaladas as unidades públicas municipais. Nas unidades de ensino, esse trabalho, contratado pela Secretaria Municipal de Administração e de Gestão de Pessoal, é organizado pela Secretaria Municipal da Educação, por meio do Departamento de Logística.

A diretora de Logística da Secretaria Municipal da Educação, Maria Cristina Brandalize, explica que a sanitização é um procedimento diferente, além da limpeza normal que é feita diariamente nas unidades, com desinfetantes. “É utilizada amônia quaternária, com nebulização, para matar vírus, bactérias e fungos”, explica Brandalize.

Protocolo próprio

Todas as unidades receberam equipamentos de proteção individual (EPIs) e itens de limpeza para o dia a dia. Novas compras estão programadas para o segundo semestre. O retorno das atividades será feito de acordo com um documento construído a partir dos estudos e planejamento de um grupo composto por 28 membros de diversos segmentos e validado pelo Comitê de Técnica e Ética Médica da Secretaria Municipal de Saúde.

O protocolo prevê uso obrigatório de máscara, distanciamento entre as carteiras de 1,5 metro, horários alternados de intervalo, uso de álcool em gel, tapetes sanitizantes, interdição de bebedouros coletivos, aferição de temperatura, entre outros. A ocupação máxima será de 50% da capacidade, o que varia conforme o tamanho da escola. 

Os principais cuidados

– Uso obrigatório de máscara para profissionais e estudantes
– Totens e frascos de álcool gel disponíveis
– Horários de entrada, saída, refeições e intervalos escalonados para evitar aglomerações
– Interdição de bebedouros coletivos
– Distanciamento social de 1,5 metro
– Desinfecção de mobiliário e materiais em geral com álcool 70%

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X