DESKTOP

A colunista Daniela Barranco mostra e conta um pouco mais sobre a Alemanha

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Em seu segundo texto sobre a Alemanha, a colunista Daniela Barranco apresenta algumas cidades famosas do país e desvenda seus segredos, entre elas Nuremberg.

Os encantos da Alemanha – Parte II

Daniela Barranco

No meu segundo texto sobre o interior da Alemanha vou apresentar algumas cidades encantadoras. Os principais destaques dos destinos são a arquitetura, história e beleza natural da região. Nessas cidades é nítida a presença das chagas das duas grandes guerras e a herança de um país dividido entre muros. Mas os alemães preservam seu passado com um comprometimento surpreendente em relação ao futuro.

Na lista de hoje apresento um pouco sobre as cidades de Nuremberg, Rothengurg Ob Der Tauber, Heidelberg, Rottweil, Tubingen e Oberamergau. Confira:

Nuremberg

blank
Cidade de Nuremberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Segunda maior cidade da Bavária, atrás somente de Munique, praticamente toda reconstruída, teve 90% de suas construções destruídas nos bombardeios da Segunda Guerra Mundial. Foi massivamente bombardeada porque era uma cidade muito importante para o nazismo, por ser uma das cinco cidades escolhidas por Hitler para ser um polo de doutrinação nazista. Ela se unia a Berlin, Munique, Hamburgo e Linz (na Áustria).

blank
Cidade de Nuremberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Finalmente após a guerra, a cidade foi palco do famoso Julgamento de Nuremberg, entre 1945 e 1946. Este julgamento sentenciou líderes nazistas e oficiais por crimes de guerra e crimes contra a humanidade. Você pode visitar a sala onde aconteceu o julgamento.

blank
A arquiteta Daniela Barranco em Nuremberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

O Centro é bem delimitado pelas muralhas medievais. Dentro delas está grande parte do que não se deve deixar de ver na cidade. Ali está tanto o centro antigo, como o centro comercial. Lorenzer Platz é uma das principais praças da cidade, onde encontramos Nassauer Haus, um prédio românico com decorações góticas, a famosa fonte Tugendbrunnen, que representa as sete virtudes e a Igreja de São Lorenzo, datada do sec. XIII com estilo gótico e vitrais maravilhosos.

Rothenburg Ob Der Tauber

blank
Rothenburg Ob Der Tauber. (Foto: Acervo pessoal)

Esta cidade certamente é a minha preferida de toda a Bavária, a mais charmosa e mais famosa. Pra começar, é toda murada, oferecendo uma personalidade única à região. Devido ao fato de que muitas das cidadezinhas tiveram de abrir mão de seus muros para se expandir, poucos são os lugares onde ainda se veem muros intactos como os vistos aqui.

Desta forma, a cidade continua mantendo dentro destas paredes centenas de anos de história e um clima de Idade Média. Há pontos entre os 3km de muralhas em que é possível subir por pequenas escadas e apreciar a incrível vista.

blank
A arquiteta Daniela Barranco em Rothenburg Ob Der Tauber. (Foto: Acervo pessoal)

A Praça do Mercado é o coração de Rothenburg. Rodeada por charmosas casinhas de enxaimel, é onde fica localizada a prefeitura (Rathaus) da cidade, que possui uma torre (Rathausturm) de 52 metros de altura, em que se pode subir seus 220 degraus para se ter uma linda vista da cidade. A praça ainda é lar do museu Historiengewölbe, com uma exposição de armas e equipamentos medievais.

blank
Rothenburg Ob D`Tauber, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Käthe Wohlfahrt é a loja mais famosa da Europa em decoração natalina. Ali tem tudo o que se possa imaginar em termos de decoração de Natal, feita dos mais diversos materiais. São mais de 30 mil peças à venda. No primeiro andar funciona um pequeno museu que apresenta a história dos Natais da Alemanha, de 1800 até 1960. Em 250m² de exposição, estão expostos mais de cinco mil itens contando a história do Natal e suas tradições.

Heidelberg

blank
A arquiteta Daniela Barranco na cidade de Heidelberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Quando eu era criança, a minha avó me contava histórias incríveis sobre suas viagens à Alemanha, e a que mais me marcou era sobre Heidelberg. Cidade poupada de bombardeios na segunda grande guerra porque um general americano tinha paixão pela beleza desta cidade.

Heidelberg, a 90km de Frankfourt, é aquele tipo de cidade charmosa, que faz a alegria dos olhos. Cada canto tem um detalhe a ser descoberto. Por não ter sido destruída na guerra, possui edifícios originais da Idade Média posterior e do início da Renascença.

blank
A cidade de Heidelberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Localizada na Markplatz, a Igreja do Espírito Santo possui estilo Barroco e foi construída entre os séculos XIV e XV. É uma igreja muito bonita, com arquitetura de impressionar e que possui algumas curiosidades, como a impressão da equação de Einstein (E=mc2) em um dos vitrais, assim como a data do lançamento da bomba em Hiroshima.

blank
A cidade de Heidelberg, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

No topo da cidade, o castelo de Heidelberg é um símbolo do romantismo alemão com suas famosas ruínas, que contam a história de guerras e um casamento que marcou a história da Europa. É hoje chamado de palácio, porém, em sua origem, era de fato um castelo fortificado. Após o casamento de Frederico V, príncipe-eleitor do Palatinado, com Elizabeth Stuart da Inglaterra, em 1613, o castelo foi então transformado em um palácio para receber sua amada e toda a comitiva vinda de Londres.

O castelo de Heidelberg é composto de vários edifícios ao redor de um pátio interno. Do terraço é possível ter uma vista da cidade de Heidelberg até o horizonte, do Rio Neckar e da ponte Karl-Theodor, um dos símbolos da cidade.

Rottweil

A cidade mais antiga do Estado de Baden-Württemberg, no Sul da Alemanha, é conhecida no mundo inteiro pela raça de cachorro que leva seu nome. Rottweil, localizada na margem Leste da Floresta Negra, entre Stuttgart e o Lago de Constança, foi elevada à categoria de cidade há mais de dois mil anos.

blank
Rottweil, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Fundada durante a era romana, em 73 DC, é certamente a cidade mais antiga que já conheci. Seu centro histórico é muito charmoso, as construções têm belos ornamentos nas fachadas e uma arquitetura própria, como ainda não tinha visto em outra cidade alemã. Tabuletas de ferro clássicas penduradas nas fachadas dos estabelecimentos já indicam qual tipo de comércio está ali abrigado. Sua aparência medieval pouco mudou até os dias de hoje.

Tubigen

blank
Daniela Barranco em Tubingen. (Foto: Acervo pessoal)

Tubingen é uma cidade universitária no Sul da Alemanha, no estado de Baden-Württemberg, às margens do Rio Neckar e não muito longe de Stuttgart. Cerca de um terço dos mais de 90 mil habitantes são estudantes, então é uma cidade com atmosfera bem animada.

Mais de 900 anos de história remontam o Centro Histórico desta cidade, com escadas íngremes, ruas estreitas e casas pontiagudas que dominam a paisagem urbana até o castelo. Construída em 1435, a Câmara Municipal na Praça Marktplatz foi adornada com um relógio ornamentado, em 1511, que funciona até hoje.

blank
Tubingen, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Uma das mais impressionantes construções da cidade é o Bebenhausen Hospital, construído entre 1477 e 1502, que serviu como centro administrativo de um monastério. O clima descolado da cidade pode ser melhor apreciado nas margens do Rio Neckar, onde barcaças no estilo das gôndolas venezianas oferecem passeios nas deliciosas tardes ensolaradas. Os barcos são conhecidos como Stocherkähne, uma velha tradição da cidade.

Oberammergau

Oberammergau é um vilarejo da Baviera com cerca de cinco mil habitantes, localizado a 80 km ao Sul de Munique. Este pequeno vilarejo bávaro é conhecido no mundo todo por sua encenação da Paixão de Cristo.

Em 1633, os moradores desta cidade fizeram um juramento: se seus cidadãos fossem poupados da peste bubônica eles encenariam uma peça que representaria a vida de Jesus e que se repetiria para sempre. Acreditando ter sido poupados pela graça do próprio Deus, os moradores mantiveram sua parte no trato; em 1634 o povo de Oberammergau produziu o primeiro Passionsspiele. E assim tem se repetido a cada 10 anos.

blank
A arquiteta Daniela Barranco na cidade de Oberammergau, na Alemanha. (Foto: Acervo pessoal)

Lüftlmalerei refere-se à arte da pintura ornamental das fachadas dos edifícios, tradição do “fresco” que transbordou da Itália barroca para o sopé do Sul da Alemanha. Na verdade, é difícil imaginar uma aldeia típica da Baviera sem esses adornos opulentos em seus edifícios, e Oberammergau não é diferente. A cidade é uma espécie de meca para Lüftlmalerei, pois foi aqui que seu criador, Franz Seraph Zwinck, viveu e trabalhou como pintor. Sua casa, chamada “Zum Lüftl”, levou os habitantes da cidade a chamá-lo de Lüftlmaler: o ‘pintor Lüftl’.

LEIA TAMBÉM:

Conhecido por séculos como um centro de marcenaria, você também verá muitos exemplos desse artesanato decorando os edifícios da cidade. Enquanto o resto do mundo pinta seus edifícios, as pessoas em Oberammergau criam obras-primas com eles.

A Alemanha é um país multifacetado, em meio a construções enxaimel, casinhas rústicas, canais e ruas estreitas há lugares perfeitos para curtir um romance e ter uma viagem inesquecível. Em apenas algumas cidades mostrei um pouco do charme do interior da Alemanha, mas as opções e as belezas são infinitas.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

blank

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X