DESKTOP

Diretoria da Associação Comercial do Paraná sugere medidas de combate ao coronavírus

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
Entre as sugestões estão horário escalonado para abertura das lojas, rodízio de atividades econômicas e redução de expediente. (Foto: Divulgação)

A diretoria da Associação Comercial do Paraná encaminhou nesta quarta-feira (24) às autoridades uma carta aberta em que apresenta propostas para o enfrentamento da pandemia da Covid-19. Entre as sugestões, que visam reduzir significativamente a circulação de pessoas, a entidade se posiciona a favor de medidas como antecipação de feriados e rodízio no funcionamento do comércio, entre outras ideias apresentadas no texto, assinado pelo presidente da entidade, Camilo Turmina.

Íntegra da carta aberta:

“Diante das incertezas com o aumento de casos de Covid-19 e a superlotação dos hospitais, a Associação Comercial do Paraná propõe a discussão conjunta com o poder público de alternativas para que saúde e economia andem juntas. Não se questiona a necessidade das normas restritivas. Elas são necessárias para impedir o total colapso do sistema de saúde e que pessoas morram por falta de leitos em hospitais.

O problema é o infindável abre e fecha e a incerteza que tira o sono dos empresários sobre a sobrevivência dos seus negócios. É real a ameaça de falências e de grande desemprego no setor de varejo. A ACP, como representante de milhares de associados, do varejo em especial, propõe a adoção de medidas que possam reduzir de forma significativa a circulação de pessoas e ao mesmo tempo permitir que as lojas continuem abertas para atender a população, mesmo que de forma limitada.

O que o comerciante precisa neste momento é ter o direito de trabalhar, produzir, honrar os prazos com seus fornecedores, manter os salários dos seus empregados em dia e ter esperança no futuro próximo. Diante disso, a entidade sugere às autoridades um modelo de escalonamento para o funcionamento do comércio que possa ser adotado de forma contínua até que se consiga uma redução substancial dos casos de Covid-19.

Lojas devem seguir com os protocolos de saúde e restrição de pessoas por metro quadrado. Precisamos liquidar com a ideia de “essencial” e “não essencial”. Todos podem trabalhar com menos horas presenciais: lojas de rua das 12h às 17h e shoppings das 15h às 20h. Os horários dos supermercados poderiam ser limitados ao período entre 8h e 14h, liberando-se a todos os segmentos a venda com delivery e por aplicativos.

Para reduzir ainda mais a circulação de pessoas, cada estabelecimento poderia trabalhar um dia e fechar no outro em um sistema de rodízio de atividades econômicas e com redução de horários. Como complemento, sugerimos também a antecipação de feriados – o que acaba de ser implementada em São Paulo e Rio de janeiro, destacando que medidas de bloqueio nos acessos ao litoral são perfeitamente factíveis para impedir aglomerações nas praias.

Baseadas em consultas a nossos associados, as sugestões visam contribuir para a superação deste difícil momento. Somos um país com enormes carências e todos, sem exceção, precisam de trabalho. Com bom senso e previsibilidade poderemos vencer os desafios.
DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO PARANÁ”

No último dia 19 de março a Associação Comercial do Paraná encaminhou cartas ao prefeito Rafael Greca e ao governador Ratinho Jr. solicitando medidas de apoio às empresas afetadas pelas paralisações. Em março, o comércio de Curitiba só esteve autorizado a funcionar durante três dias, primeiro obedecendo ao decreto estadual e em seguida ao decreto municipal. Nesta sexta-feira, as medidas restritivas foram estendidas até o próximo dia 28 na capital.

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X