DESKTOP

Excesso de stress, insônia e ansiedade podem levar ao esgotamento emocional

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Por Joana Iarocrinski

esgotamento emocional-coronavirus
Cansaço incomum, falta de energia e uma sensação de que o corpo não tem condições de realizar tarefas simples podem ser sinais de alerta. (Foto: Divulgação)

Em tempos de isolamento social, com as pessoas reclusas em casa e tendo de lidar com novas situações que podem gerar stress, como mais tarefas domésticas e a ausência da rotina do trabalho e da prática de exercícios, por exemplo, uma preocupação dos médicos é com o avanço de doenças que causam estafa e esgotamento emocional. Cansaço incomum, falta de energia e uma sensação de que o corpo não tem condições de realizar tarefas simples podem ser sinais de alerta. A motivação de sempre, de repente, dá lugar ao desânimo, esgotamento físico e irritação profunda. Resultado de stress contínuo, que pode levar a um colapso físico e mental, o esgotamento emocional acomete com muita frequência profissionais das áreas da saúde, educação, segurança e mulheres que trabalham em jornada dupla. Muitos desses, que estão trabalhando diretamente na linha de frente do combate ao COVID-19.

Situações de desemprego, que desencadeiam ansiedade e stress, podendo levar a quadros depressivos e insônia, também estão relacionadas com esse tipo de doença, muitas vezes de difícil diagnóstico. E, com o possível quadro de recessão que o Brasil deve enfrentar após a pandemia, a preocupação é grande com o aumento do número de casos. Agressividade, lapsos de memória, dificuldade de concentração, isolamento, baixa autoestima, pessimismo e mudanças bruscas de humor são outras características comuns da síndrome do esgotamento.

LEIA TAMBÉM:

Caso note o aparecimento de algum desses sintomas com mais frequência em você ou em algum parente, a orientação é buscar informação sobre a doença, fazer uma avaliação física e psicológica e, acima de tudo, procurar manter o controle e o equilíbrio. O stress e o esgotamento podem estar relacionados à falta de nutrientes e vitaminas fundamentais para o bom funcionamento do organismo. O tratamento inclui ainda o uso de antidepressivos e psicoterapia. Atividade física regular e exercícios de relaxamento também são recomendados. Não hesite em buscar ajuda profissional. A saúde mental é tão importante quanto a física.

Joana-Iarocrinski
Por Joana Iarocrinski, médica e coach em saúde pelo Instituto de Nutrição Integrativa da Universidade de Nova York. (Foto: Divulgação)

Joana Iarocrinski é médica formada pela FURB (Fundação Universidade Regional de Blumenau), com Pós-Graduação em Adequação Nutricional, Prevenção e Tratamento de Doenças Relacionadas à Idade. Com consultório próprio no bairro Bigorrilho, Joana é coach em saúde pelo Instituto de Nutrição Integrativa da Universidade de Nova York, com atualização em medicina interna na Escola Médica da Universidade de Harvard.

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X