Na pandemia, famílias transferem filhos para escolas públicas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Monique Benoski

A Escola Municipal Professor Osvaldo Arns, no Tatuquara. (Foto: Levy Ferreira/SMCS)

Entre os efeitos trazidos pela crise da pandemia estão mudanças de rotina, de comportamento e cortes de custos para controle de orçamento. Nesse cenário, alguns pais ou responsáveis estão transferindo seus filhos de escolas particulares para públicas. Desde o final de março até o dia 18 de maio, mais de 400 solicitações de matrículas foram registradas na rede pública municipal, de acordo com o Departamento de Planejamento, Estrutura e Infirmações da Secretaria Municipal da Educação.

Caso e escolha da família seja a transferência do estudante, um responsável deve ir até o Núcleo Regional Municipal da Educação de seu bairro (usando máscara) e portar os documentos necessários (lista abaixo). A rede municipal de ensino de Curitiba atende Educação Infantil, Ensino Fundamental e Educação de Jovens e Adultos (EJA) fase I. Cada um dos dez Núcleos Regionais direcionará o estudante para uma unidade onde há vaga. Na rede municipal, o atendimento a partir dos 4 anos é universal, todos serão atendidos por meio das videoaulas disponibilizadas.

Documentos

  • Certidão de Nascimento da criança (original e cópia)
  • Declaração de transferência ou histórico da escola de origem
  • Cópia de RG e CPF dos pais ou responsáveis
  • Informar o código do NIS (Número de Identificação Social, caso a criança tenha cadastro no Programa Bolsa Família)
  • Comprovante de endereço (talão recente de conta da Copel)
  • Declaração de vacina da criança (pode ser retirada em qualquer posto de saúde)

LEIA TAMBÉM:

Videoaulas

Todos os estudantes da rede municipal de ensino de Curitiba têm acesso às videoaulas feitas pela equipe da Secretaria Municipal da Educação de Curitiba. A transmissão acontece tanto pela TV aberta – canal 9.2 UHF da TV Paraná Turismo – quando pelo canal TV Escola Curitiba no YouTube – já são 67,7 mil inscritos e 5,5 milhões de visualizações desde o início do formato. Além do conteúdo em vídeo, os alunos estão recebendo atividades complementares produzidas pelas equipes das escolas desde o dia 13 de abril. Os professores também produzem atividades complementares que as famílias retiram nas escolas a cada 15 dias.

Confira a página da Educação para mais informações sobre os Núcleos Regionais.

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X