Fundação Cultural se muda para antiga sede do Solar do Rosário no Centro Histórico

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

O Solar do Rosário, no Largo da Ordem, é a nova sede da Fundação Cultural de Curitiba. (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

A mudança anunciada em primeira mão pelo portal em abril deste ano, se concretizou. A partir de agora, a sede ocupada por 29 anos no coração do Largo da Ordem, pelo Centro Cultural Solar do Rosário abrigará a Fundação Cultural de Curitiba. A tradicional galeria deixou o casarão histórico da Rua Duque de Caxias para se instalar no Edifício Eugênio Casillo, na Rua Lourenço Pinto, ao lado do escritório Casillo Advogados, no Centro.

Nesta terça-feira (29) o prefeito Rafael Greca visitou as novas instalações da presidência e assessorias da Fundação Cultural de Curitiba. A sede manterá o caráter cultural, com salas de exposições, auditório e ateliês. “Nós abrimos a antiga casa de Ignácio de Paula França e Sinhá França, que já foi casa de Elza e Newton Carneiro, Instituto Goethe, Galeria Solar do Rosário, agora transformada em sede no setor histórico da Fundação Cultural de Curitiba. Ela soma-se com o Belvedere, o anfiteatro das Ruínas, o Museu Paranaense, o Instituto Curitiba de Turismo, o Memorial de Curitiba, a Casa da Memória, o Conservatório de MPB, o Solar do Barão e o Cine Passeio, formando um grande corredor cultural, que vai do Passeio Público ao Alto do São Francisco”, disse o prefeito.

As instalações do Solar do Rosário, preservam as características originais do imóvel. (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

Imóvel histórico

Construído no final do século 19 para a família de Ignácio de Paula França, o Solar do Rosário era então conhecido como Solar de Sinhá França. A imponência do casarão e seu característico frontão se destacam na paisagem, tornando-o uma das mais significativas construções do Setor Histórico de Curitiba. Paula França faleceu em 1919, mas a casa se manteve como moradia da família até o final da década de 1940, época em que os últimos herdeiros deixaram de residir na cidade. O endereço transformou-se de modo expressivo em 1975, quando foi alugado para o Instituto Goethe, iniciando uma vocação de uso cultural que perdura até os dias atuais. O Goethe manteve-se na casa até 1988.

A sede manterá o caráter cultural, com salas de exposições, auditório e ateliês. (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

No ano seguinte, adquirido pela família Casillo, passou por obras de recuperação e restauro para abrigar uma entidade cultural com galeria de arte e antiquário que, entre outras atividades, organizou cursos, seminários, palestras e oficinas. O Centro Cultural Solar do Rosário transferiu-se para novo endereço, em 2020. Consolidando a sua vocação cultural e o uso com atividades artísticas, o Solar reabre agora em 2021 como espaço expositivo e sede administrativa da Fundação Cultural de Curitiba.

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X