DESKTOP

Governo do estado promete endurecer com quem não acatar medidas restritivas

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
Forças de segurança devem agir com rigor contra ações que incentivem aglomeração. O documento prevê suspensão dos serviços e atividades considerados não essenciais em todo o Estado. (Foto: José Fernando Ogura/AEN)

O governo do estado anunciou que vai intensificar a fiscalização de abusos que burlem as medidas de combate à circulação do coronavírus determinadas pelo Decreto 6983/2021, publicado nesta sexta-feira (26), com a retomada da chamada quarentena restritiva. As estratégias foram definidas pelo governador Ratinho Jr. em reunião, no Palácio Iguaçu, com a cúpula das forças de segurança do Paraná. Entre os pontos, ficou acertado o prolongamento da operação Verão Consciente por, pelo menos, mais uma semana.

O pedido é para agir com rigor contra iniciativas que causem aglomerações, como festas clandestinas. O documento elaborado pela Casa Civil prevê, entre outras ações, a suspensão do funcionamento dos serviços e atividades considerados não essenciais em todo o estado e a ampliação na restrição de circulação das pessoas, que passa a vigorar entre 20 horas e 5 horas. A normativa entra em vigor à zero hora deste sábado (27) e tem validade até as 5 horas do dia 8 de março, podendo ser prorrogada ou não, dependendo do comportamento da pandemia no território paranaense durante o período.

LEIA TAMBÉM:

“A fila de espera por leitos, que no início da pandemia era de 40, em média, passou para 450 de dias para cá. E atualmente está em 578. Houve relaxamento da população até pelo efeito psicológico de a vacina ter começado a ser aplicada. Por tudo isso vamos precisar de reforço policial, ser mais rigorosos com a fiscalização. Aplicar multa e, se necessário, prender quem não entender a gravidade do momento”, afirmou Ratinho Jr. O secretário de Segurança Pública, Rômulo Marinho Soares, também presente à reunião, explicou que inicialmente os policiais seguirão o bom senso, mas que a ordem é para atuar com rigor em casos de desobediência ao decreto. “Usaremos o bom senso com quem merece. Para comportamentos inadequados vamos apertar um pouco mais, usar a lei. Levar para a delegacia, lavrar boletim de ocorrência e prender se assim se fizer necessário”, disse.

O secretário ressaltou também que o planejamento prevê o prolongamento da operação Verão Consciente, mantendo a vigilância em pontos de veraneio do estado, como o Litoral e prainhas de água doce, localizadas no interior, em represas e rios. “Era para finalizar a operação no dia 1º de março, mas vamos estender por mais uma semana para acompanhar a validade do decreto”, afirmou Marinho. O texto contempla ainda outras ações restritivas, com foco na diminuição da circulação e aglomeração de pessoas. No período das 20 horas às 5 horas, diariamente, fica estabelecida a restrição provisória de circulação em espaços e vias públicas, excetuando-se pessoas e veículos em razão de serviços e atividades essenciais. O mesmo vale para a comercialização e o consumo de bebidas alcoólicas em espaços de uso público ou coletivo, estendendo-se a vedação para quaisquer estabelecimentos comerciais.

Participaram da reunião o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Hudson Leôncio Teixeira, o delegado-geral da Polícia Civil, Silvio Jacob Rockembach, o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Gerson Gross, e o coordenador estadual da Defesa Civil, Fernando Schunig.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:


Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X