DESKTOP

Equipes de UTIs e enfermarias de Covid-19 começam a ser vacinadas nesta segunda

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
Cerca de 12 mil profissionais de saúde da linha de frente da pandemia em toda a cidade serão vacinados. (Foto: Divulgação)

A Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba começa nesta segunda-feira (25) mais uma etapa da vacinação contra a Covid-19. Serão imunizados com a primeira dose da Coronavac equipes das alas de UTIs e enfermarias dos hospitais da cidade que atendem pacientes contaminados pelo novo coronavírus. A medida atende reinvindicação realizada pelos profissionais da saúde.

No grupo, que faz parte da primeira fase do cronograma do Plano Municipal de Imunização, devem ser vacinados 12 mil profissionais da linha de frente, entre médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, técnicos, equipes de higiene e limpeza e outros profissionais das alas Covid-19.

LEIA TAMBÉM:

A vacinação será feita de forma escalonada, no Centro de Eventos Positivo, no parque Barigui, numa parte do espaço que já está preparado. Nesta segunda-feira, o atendimento acontece das 13h às 20h. Nos demais dias, das 8h às 20h, de segunda a sábado.

Desde a início do programa de imunização em Curitiba, já foram vacinados os profissionais responsáveis pela aplicação das vacinas, idosos e funcionários de instituições de longa permanência e indígenas. A responsabilidade pela indicação desses profissionais das alas Covid-19 é dos hospitais, que enviaram a listagem para a Secretaria Municipal da Saúde.

Aplicativo Saúde Já

O agendamento da vacinação, de acordo com as listas enviadas, será via aplicativo Saúde Já. O profissional receberá uma mensagem com a data e horário da vacinação.

Grupos

Os grupos que já estavam definidos para serem vacinados nesta fase são: os 250 profissionais da enfermagem que atuarão como vacinadores na campanha; os cerca de 6 mil moradores, funcionários e cuidadores das 127 instituições de longa permanência; 93 indígenas aldeados da aldeia Kakané-Porã, na Regional Tatuquara; os cerca de 12 mil profissionais de saúde da linha de frente da pandemia em toda a cidade; e as equipes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), além de profissionais de serviços de remoção médica particulares. São cerca de 2.500 profissionais.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

blank

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X