Mesmo com flexibilização de atividades em Curitiba, prefeitura segue fiscalizando quem desrespeita normas anti-Covid

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Flexibilização de atividades não interrompe Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu) para evitar propagação da Covid-19 em Curitiba. (Foto: Pedro Ribas/SMCS)

A falta do controle na lotação de bares, restaurantes, lanchonetes e outros estabelecimentos foi a principal causa de interdição e autuações feitas no último fim de semana em Curitiba – o primeiro com medidas mais flexíveis no enfrentamento ao novo coronavírus – pela Ação Integrada de Fiscalização Urbana (Aifu).

Da noite de sexta-feira (30) ao domingo (1º), a força-tarefa da prefeitura e do governo do estado interditou 14 estabelecimentos e lavrou 14 autos de infração ao longo de 36 vistorias realizadas. A maioria dos espaços vistoriados estava adequada ao protocolo de prevenção ao contágio da Covid-19, mas ainda foram constatados descuido com a capacidade máxima de 50% de lotação, incluindo no cálculo clientes e funcionários, falta de distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas e o funcionamento de boates e casas noturnas, cujas atividades seguem suspensas.

A partir da melhora dos indicadores da pandemia na cidade, e como consequência disso a flexibilização nas atividades adotadas pelo município que segue em bandeira amarela (situação de alerta contra a Covid-19), as abordagens realizadas priorizaram principalmente a verificação quanto aos cuidados para evitar a aglomeração e o uso da máscara.

Fator de risco

As equipes foram criteriosas quanto às regras de capacidade de público e distanciamento social, uma vez que aglomeração segue sendo um fator de alto risco. “O protocolo sanitário é agora tão ou mais importante, a partir da flexibilização das medidas, do que em outros momentos”, alerta a médica infectologista Marion Burger, da Secretaria Municipal da Saúde. Segundo ela, todos precisam seguir com os cuidados, fazendo a sua parte para garantir que os índices de contágio não voltem a subir. “A flexibilização para o funcionamento de algumas atividades não libera os cidadãos das medidas preventivas que seguem necessárias”, reforça a infectologista.

LEIA TAMBÉM:

No domingo (1º), em 17 vistorias realizadas no Centro e nos bairros São Francisco, Cajuru, Uberaba, Boqueirão, Capão Raso, CIC e Riviera, dois estabelecimentos – uma choperia no São Francisco e um bar no Boqueirão – foram interditados e autuados por deixarem de controlar o distanciamento entre as pessoas. O primeiro foi multado e R$ 5 mil e o segundo em R$ 10 mil.

Na noite do sábado (31), foram vistoriados 11 estabelecimentos em sete bairros: Alto da XV, Bacacheri, Batel, Cajuru, Centro, CIC e Rebouças. Foram lavrados sete autos de infração, que somaram R$ 270 mil, a estabelecimentos que tiveram as atividades paralisadas por funcionamento em desacordo com as normas vigentes de prevenção e controle da pandemia. Uma casa noturna no Batel foi autuada em R$ 100 mil.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X