Morre o advogado René Dotti, de parada cardíaca

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp
rené dotti morre
Morreu na manhã desta quinta-feira (11), em Curitiba, aos 86 anos, o renomado advogado e professor René Ariel Dotti. (Foto: Divulgação)

Morreu na manhã desta quinta-feira (11), em Curitiba, aos 86 anos, o renomado advogado e professor René Ariel Dotti. A causa da morte foi uma parada cardíaca. René Dotti comandava uma das bancas mais prestigiadas do Brasil, com sede em Curitiba. Há tempos ele enfrentava problemas de saúde e passou um tempo internado com problemas cardíacos. A família optou por não divulgar o local e horário do velório e do sepultamento. René Dotti foi também secretário da Cultura do Paraná de 1987 a 1991, no governo Álvaro Dias, e era membro titular da Academia Paranaense de Letras. O governador Ratinho Jr. e o prefeito Rafael Greca lamentaram a morte. Greca decretou luto oficial de um dia em Curitiba.

O escritório, que ocupa o 12º, 13º e 14º andares do Edifício Nerina Caillet, localizado na Rua Marechal Deodoro, 497, no Centro de Curitiba, foi fundado em 1961. Inicialmente, funcionou na Rua Dr. Muricy, 715. Nos primeiros tempos, foi administrado e mantido com o trabalho exclusivo de seu titular e o apoio de somente um funcionário. Anos mais tarde, passou a receber a colaboração de um ex-aluno da Faculdade de Direito, ampliando a clientela para causas criminais, cíveis e administrativas.

Leia abaixo a nota divulgada pela Dotti e Advogados:

“A Dotti e Advogados comunica, com profundo pesar, o falecimento de seu fundador, professor René Ariel Dotti, 86 anos, ocorrido nesta quinta-feira (11), em sua residência. Nascido em Curitiba no Dia da República, a 15 de novembro de 1934, Dotti formou-se em Direito pela UFPR e começou a atuar na advocacia nos anos 50. Destacou-se na luta contra a ditadura militar, defendendo jornalistas, sindicalistas, professores, estudantes e tantos quantos foram perseguidos pelo regime. Por quase seis décadas, Dotti contribuiu com o ensino jurídico, com diversos livros e pareceres. Dotti deixa a esposa Rosarita, as filhas Rogéria e Cláudia, e os netos Gabriel, Pedro, Lucas e Henrique, além de uma legião de admiradores na área do Direito e em todas as esferas da sociedade”.

OAB lamenta a perda do jurista René Dotti e decreta luto oficial de três dias

A OAB Paraná lamenta profundamente o falecimento do jurista René Ariel Dotti, medalha Vieira Neto e um dos mais reconhecidos advogados penalistas do Brasil.  Professor René, como gostava de ser chamado, era titular de Direito Penal da Universidade Federal do Paraná. Diante da perda, a seccional decreta luto oficial de três dias.

“Infelizmente o professor René nos deixou. É um dos dias mais tristes da advocacia paranaense. A figura do professor René era referência da advocacia paranaense no cenário nacional e internacional. Um democrata, um defensor das liberdades, um humanista, um incentivador da cultura, um jurista, um exemplo de pai de família, enfim, um homem completo, alguém que será lembrado para sempre na história do Paraná e do país. É uma perda irreparável para o Brasil”, afirma o presidente da OAB Paraná, Cássio Telles.

Na OAB exerceu diversos papéis tanto na seccional quanto em nível nacional. Foi conselheiro seccional nos anos 1960 e 1970 e integrou diversas comissões como a Comissão da Verdade no Âmbito da seção Paraná e a Comissão de Apoio à Criação do Tribunal Regional Federal no Estado do Paraná. No Conselho Federal, presidiu a Comissão Especial de Estudo do Projeto do Novo Código de Processo Penal e foi relator do anteprojeto de nova Lei de Imprensa.

Homenagens

Em 2016, a OAB Paraná realizou um evento em homenagem ao jurista que contou a presença de grandes nomes do direito nacional, entre eles Miguel Reale Junior, que o definiu da seguinte maneira: “René Dotti é um sonhador com os pés no chão. Por isso, um sonhador que realiza. Sou eterno devedor do entusiasmo que ele gera na minha vida”, disse o também penalista.

Sua atuação foi aguerrida durante o regime militar, tendo atuado como defensor das liberdades e dos direitos fundamentais. Posteriormente, foi homenageado pela Câmara dos Deputados e pela Ordem dos Advogados do Brasil pela atuação em defesa de presos e perseguidos políticos.

Era membro da Academia Brasileira de Direito Criminal, da Academia Paranaense de Letras, da Academia Paranaense de Letras Jurídicas e da Sociedade Mexicana de Criminologia. Dotti também foi membro da Comissão de Juristas, instituída pelo Senado Federal, para elaborar o anteprojeto do Código Penal (2011)

Entre diversas homenagens, além da Medalha Vieira Neto, o jurista recebeu a Medalha Santo Ivo, Padroeiro dos Advogados, concedida pelo Instituto dos Advogados Brasileiros, a Comenda Mérito Judiciário do Estado do Paraná, conferida por decisão unânime de Órgão Especial, do Tribunal de Justiça do Paraná (2014).

Deixa a esposa Rosarita, as filhas Rogéria e Cláudia e netos e os netos Gabriel, Pedro, Lucas e Henrique. A Ordem dos Advogados do Brasil, seção Paraná, presta as mais sinceras condolências aos familiares e amigos manifesta as mais profundas condolências.

LEIA TAMBÉM:

Leia a nota de pesar da Academia Paranaense de Letras:

Nota de Pesar

“A Academia Paranaense de Letras cumpre dolorosa obrigação de informar o falecimento de seu Diretor Jurídico, professor René Ariel Dotti, ocorrido hoje. Nome emblemático da cultura, da advocacia, do magistério e dos direitos humanos, René Dotti foi um nome de abrangência internacional, graças ao enorme talento e às obras que produziu ao longo de 86 anos de vida. Ingressou na Academia Paranaense de Letras em 14 de setembro de 1992, com saudação a cargo do acadêmico Manoel de Oliveira Franco Sobrinho”, diz o texto assinado pelo presidente da APL, Ernani Buchmann.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

3 comentários em “Morre o advogado René Dotti, de parada cardíaca”

  1. Expresso meus sentimentos a Familia, em especial nossa colega Dra. Rogéria Dotti, extensivo ao meu amigo Júlio Brotto, que em um determinada ocasião o Professor Rene Dotti externou sua admiração a este profissional que o considerava como um filho.

  2. Dotti, adolescente, estava indeciso entre a vida artística, na época ator de teatro ao lado de Ary Fontoura, e a advocacia. Era meu advogado criminal e quem me ajudou muito, com seu prestígio, a criar o Memorias Paraná, em cujo site está o depoimento de sua brilhante vida. Meus sentimentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X