Ônibus passam a circular com limite de ocupação de 50%

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
A frota opera com 80% dos veículos e deve respeitar limite de 50% da ocupação. (Foto: Daniel Castellano)

Com o decreto 565, que instituiu a bandeira vermelha em Curitiba por conta do agravamento da pandemia de Covid-19, os ônibus passam a circular, a partir deste sábado (13), com limite de ocupação de 50%. O objetivo é evitar as aglomerações dentro dos veículos. Até então, o limite era de 70%. 
A Urbanização de Curitiba (Urbs) informa que vai manter as tabelas e a frota inalteradas até a próxima segunda-feira (15), quando será analisada a necessidade de ajustes na operação.

A frota opera hoje com cerca de mil veículos, o que representa 80% do total, mas nas linhas principais, foram mantidos 100% dos horários. Até a última quinta-feira (11), o movimento diário estava em cerca de 350 mil passageiros. Com o novo decreto que ampliou as restrições a serviços não essenciais, a circulação de pessoas deve cair e por isso a reestruturação na quantidade de carros que serão colocados para rodar.

LEIA TAMBÉM:

O novo decreto entrou em vigor à zero hora deste sábado e tem vigência até o dia 21 de março de 2021. Os atendimentos presenciais e os agendamentos na Urbs e nas Ruas da Cidadania também ficam suspensos nesse período. Os usuários terão que remarcar os agendamentos a partir de 22/3. Mas as atividades de fiscalização, vistoria do transporte coletivo, limpeza e manutenção  serão executados normalmente.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:


Veja Também

1 comentário em “Ônibus passam a circular com limite de ocupação de 50%”

  1. blank

    Bom dia xará!
    Nosso prefeito, possui parcela de culpa neste caos que estamos vivendo (e viveremos por mais algum tempo). Ele é benevolente com as empresas de ônibus. Em nenhum momento e qualquer que seja o meio de comunicação, ele exigiu toda a frota de ônibus nas ruas.
    É cumplice dos empresários e por motivos estranhos já que foi a primeira categoria que ele de empenhou em ajudar em 2020 com 200 milhões de reais. Como não conseguiu, no inicio do ano, previu (não sei que cartomante) que a pandemia iria até junho e por tal razão, haveria pagamento diferenciado das tarifas.
    Propor horário de funcionamento diferentes ao comércio e não exigir nada do empresariado do transporte público se praticamente se resume em uma família, é pra lá de esquisito. Ele (Greca), foi, é se indubitavelmente será omisso e franco no que tange ao combate a pandemia. Depois eleito, resolveu sair do seu sítio.
    Ele é responsável sim pelo caos que somado a falta de responsabilidade da população que em parte são negacionistas, transformam Curitiba neste CAOS.
    Mas fazer o que… ele está reeleito e continuará fazendo o que gosta… recistando poesias, comentando fotos, cantando o hino de Curitiba, comprando obras de arte, maçanetas em formato de Pinhão…
    Abraço

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X