Papai Noel de tradicional shopping de Curitiba morre e deixa trono vazio

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Marlon Wilmar de Oliveira foi Papai Noel por mais de 25 anos no Shopping Novo Batel (Foto: Divulgação)

O trono do Papai Noel do Shopping Novo Batel, um dos mais tradicionais de Curitiba, está vazio desde terça-feira (30). Foi o último dia que Marlon Wilmar de Oliveira, de 60 anos, o ocupou e atendeu as crianças e pais que circulavam pela praça de eventos. Na quarta (01), Marlon acordou e foi fazer alguns reparos no quintal de sua casa, no São Lourenço, antes de ir para o trabalho. Logo em seguida falou para um dos filhos que daria mais uma “descansadinha” antes de seguir para o shopping.

Estranhando a demora do pai para acordar, o filho foi chamá-lo. Marlon já estava sem vida na cama. O coração parou enquanto dormia, deixando órfãs da figura carismática as milhares de crianças que o visitavam para tirar fotos. Papai Noel profissional há 40 anos, Marlon era dono de um pequeno jornal de bairro e trabalhou alguns anos na Cohab de Curitiba. Desde que se aposentou, tinha na atividade natalina uma boa fonte de renda extra, já que, além do shopping, marcava presença em muitas casas curitibanas na noite de Natal.

“Sentimos muito a perda dele. Ele era muito gente boa e atendia a todos muito bem”, diz o proprietário do Novo Batel, Luiz Celso Branco. Marlon atuou como Papai Noel e coelho da Páscoa por mais de 25 anos e era figura conhecida e querida pelos lojistas e frequentadores do shopping. Nos momentos de folga, circulava pelas lojas e sempre batia ponto na charutaria La Casa del Tabaco, onde chamava a atenção com a roupa vermelha e uma latinha de Coca-Cola nas mãos. Quando estava com a fantasia de coelho tirava a enorme cabeça para espantar o calor e tomar o refresco.

Luiz Celso Branco, que já não pretendia mais ter Papai Noel de carne e osso, decidiu não substituí-lo para, segundo disse, seguir uma tendência que viu em alguns grandes shoppings de São Paulo, que aboliram a figura humana e passaram a usar somente bonecos. Ele manteve o contrato mais este ano com Marlon pelo longo tempo de serviços prestados.

LEIA TAMBÉM:

“Estou em choque. Ele foi muito importante na minha família, desde o Faz de Conta. Vamos sentir muita saudade deste Papai Noel incrível”, disse Denise Andruski. Marlon tinha um sonho: conhecer a Lapônia, a terra do Papai Noel. Não deu tempo. Seu coração não aguentou esperar.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

7 comentários em “Papai Noel de tradicional shopping de Curitiba morre e deixa trono vazio”

  1. Avatar

    Adorava o Marlon! O conheci como papai Noel no Shopping Novo Batel! Todos os anos eu passava saudar esse querido papai Noel! Nos tornamos amigos e sempre nos falávamos por WhatsApp!
    Esse ano queria que ele viesse em casa alegrar minhas crianças, mas não deu tempo!
    Estarei em oração por essa bela alma! Pessoa iluminada!
    Meus sentimentos a toda a família!
    Beatriz Moreira e familia

  2. Avatar
    José Luiz Maranhão

    Marlon Wilmar de Oliveira foi um Papai Noel em pessoa, tanto nos momentos em que vestia o seu uniforme de “bom velhinho”, quanto nas horas em que estava à paisana. Dividiu sonhos, transpirou bondade e transmitiu esperança.
    Imagino, inspirado em “Irene” de Manoel Bandeira, o Marlon entrando no céu:
    — Licença, companheiro!
    E São Nicolau bonachão:
    — Entra, Marlon. Você não precisa pedir licença. Oh, oh, oh!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X