Paraná está pronto para vacinar contra Covid-19, diz Ratinho Jr.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
O governador Ratinho Jr. anunciou o início da vacinação contra Covid-19 durante visita ao Centro de Medicamentos do Paraná, em Curitiba. (Foto: Rodrigo Leal/AEN)

O governador Ratinho Jr. anunciou nesta quarta-feira (12) que o estado já tem o estoque de agulhas, seringas, máscaras, luvas e outros itens necessários para iniciar a vacinação contra o novo coronavírus. De acordo com ele, o governo liberou mais dinheiro para a compra e vai investir R$ 27 milhões nos próximos dias para aquisição de materiais, suficientes para as duas doses de vacinação de toda a população do estado.

“Estamos prontos. Temos agulhas, seringas, mais de 1.800 pontos de vacinação e uma logística pronta para os imunizantes chegarem nos municípios”, afirmou o governador. O estoque vai ser guardado no Ginásio do Tarumã, cedido pela Paraná Esporte. De lá, serão abastecidas as 22 Regionais de Saúde do estado. O transporte será feito por quatro caminhões baús refrigerados e monitorados por satélite e, se necessário, também por três aviões da Casa Militar do governo.

Vacinação

O Paraná vai seguir o Plano Nacional de Imunização (PNI) elaborado pelo governo federal. O Ministério da Saúde espera começar ainda neste mês as imunizações dos grupos considerados de risco. A estimativa é que o Paraná receba 100 mil dos dois milhões de doses do imunizante desenvolvido pela Universidade de Oxford e pelo Laboratório AstraZeneca. As vacinas serão importadas do Instituto Serum, um dos centros da AstraZeneca para a produção da vacina na Índia, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

De acordo com a Secretaria de Saúde, o grupo prioritário é formado por cerca de 90 mil profissionais da linha de frente do combate à Covid-19, 10 mil índios acima de 18 anos mapeados em comunidades isoladas de 30 municípios do estado e 10 mil idosos que vivem em asilos e casas de repouso.

LEIA TAMBÉM:

Estrutura

A estrutura paranaense para a vacinação contra o coronavírus conta ainda com 21 câmaras frias já adquiridas e outras 180 em processo de aquisição. Mais 31 câmaras frias para armazenamento serão compradas em parceria com o governo federal. O estado dispõe também de freezers para a produção de gelo, equipamentos de ar-condicionado, contêineres refrigerados de 40 pés para armazenamento de 100 mil doses de vacinas, caminhões refrigerados para distribuição de imunizantes e a perspectiva de implantação de câmaras modulares para armazenamento de frios nas 22 Regionais de Saúde.

Vantagem em logística

Outro ponto destacado pelo secretário de saúde do Paraná, Beto Preto, é que o estado conta atualmente com 1.850 salas de vacinação aptas para serem usadas, em estratégia alinhada com os municípios. Rede que pode ser ampliada, se necessário, com a adoção da chamada estratégia extramuros. “Quem vai vacinar efetivamente são os municípios, mas todos serão atendidos. Pensamos no Paraná imunizado como um todo”, ressaltou Beto Preto.

A Diretora de Atenção e Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde, Maria Goretti David Lopes, destacou também que as 27 milhões de seringas e agulhas adquiridas neste momento serão para uso exclusivo de vacinas contra a Covid-19. De acordo com a diretora, em média, por ano, a Secretaria de Saúde utiliza na rotina de vacinação 16 milhões de seringas e agulhas na imunização permanente de sarampo, influenza, polio, entre outras e não inclui a vacina contra o novo coranavírus na conta.

Levando em consideração o tamanho da população, o Paraná também é o terceiro, com 2,34 seringas/agulhas por habitante. Ou seja, número superior ao necessário para aplicar as duas doses em todos os moradores do estado – de acordo com a mais recente estimativa do IBGE o Paraná tem 11.516.840 habitantes.

O secretário Beto Preto ressaltou que é essa expertise técnica do grupo que fará com que a vacina contra a Covid-19, tão logo seja liberada pela Anvisa, comece a ser aplicada em até 72 horas nos paranaenses que integram o grupo prioritário.

Segundo Beto Preto, o planejamento prevê que aproximadamente 4 milhões de paranaenses recebam a primeira dose da vacina até maio. “O Paraná será imunizado por completo, muito por conta da experiência desses profissionais que formam a saúde do estado”, afirmou o secretário.

Orientações

A Controladoria-Geral do Estado (CGE) elaborou orientações a servidores públicos sobre a atuação durante a pandemia, na área administrativa. Ainda em abril do ano passado, a CGE expediu a Resolução 30/2020, com recomendações para órgãos e entidades da administração pública quanto à dispensa de licitação para as compras emergenciais.

Em seguida, foi divulgado o Guia para Contratações Emergenciais – Covid-19, sobre aquisições de bens, serviços, inclusive de engenharia, e insumos de saúde, com dispensa de licitação. Esse material e outras orientações podem ser acessados na página da CGE, na aba Covid-19, ou no site coronavirus.pr.gov.br, na aba de transparência.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X