DESKTOP

Paraná prorroga medidas restritivas para combate à Covid-19, entre elas o toque de recolher

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
O governador Ratinho Jr. assinou nesta quinta-feira (17) decreto que prorroga por mais dez dias as medidas restritivas e de distanciamento social. (Foto: Divulgação/Daniel Castellano-SMCS)

O governador Ratinho Jr. assinou nesta quinta-feira (17) decreto que prorroga por mais dez dias as medidas restritivas e de distanciamento social para evitar a propagação do novo coronavírus e conter o aumento das infecções no Paraná. O texto é o mesmo da normativa 6294/2020, que terminaria nesta sexta-feira (18). Assim, o novo decreto começa a valer no sábado (19) e se estenderá até 28 de dezembro, podendo ser prorrogado ou não. O documento, de número 6555/2020, mantém as regras que estão em vigor no Paraná desde o começo de dezembro: proibição de confraternizações e eventos presenciais com mais de 10 pessoas e vedação de circulação de pessoas, comercialização e consumo de bebidas alcoólicas em vias e espaços públicos das 23 horas às 5 horas. O texto excetua atividades sem contato físico, incluindo o modelo drive-in, reforçando a recomendação para que as pessoas passem as celebrações de Natal dentro de seus núcleos familiares para evitar aglomerações.

A decisão mantém o impedimento provisório na circulação de pessoas no mesmo período, medida em vigor no estado desde o último dia 2. Apenas serviços considerados essenciais, regidos pelo decreto estadual 4.317/20, como saúde, segurança pública, limpeza pública, produção, distribuição e comercialização de alimentos, ficam liberados da restrição de circulação. As medidas restritivas foram elaboradas em conjunto com as 29 cidades que formam a Associação dos Municípios da Região Metropolitana de Curitiba (Assomec).

LEIA TAMBÉM:

O decreto recupera medidas de duas resoluções da Secretaria da Saúde do estado, a 734/2020, que autoriza a celebração de cultos religiosos desde que o espaço destinado ao público tenha ocupação máxima de 30%, garantido o afastamento mínimo de 2 metros entre as pessoas. O texto recomenda que a população realize atos religiosos em casa, de forma individual ou em família. “Essas medidas são fundamentais. É claro que o vírus não tem horário, mas cerca de 15% dos nossos leitos de UTI são usados em decorrência de traumas. Em muitos casos por pessoas que bebem, pegam o carro e acabam se acidentando. Isso libera leitos para combater o coronavírus, para dar assistência a quem está contaminado”, ressaltou Ratinho Jr.

O Paraná atingiu um novo recorde de mortes em decorrência da Covid-19 nesta quarta-feira (16). Boletim epidemiológico revelou mais 2.845 diagnósticos da doença e 199 óbitos. O boletim registra também 17.322 casos retroativos do período entre 1º de abril a 14 de dezembro. Destes, 14.227 são de Curitiba contabilizados devido à integração entre o sistema municipal e o sistema próprio do estado (Notifica Covid-19), que ainda está em andamento. Estes casos já foram divulgados no boletim da Secretaria Municipal de Curitiba. Os dados acumulados do monitoramento da Covid-19 mostram que o Paraná soma 356.992 casos e 7.057 mortes em decorrência da doença. A taxa de ocupação dos leitos de UTI adulto exclusivos para pacientes suspeitos ou contaminados pela doença no estado está em 86% e a de enfermaria em 63%. Das 1.127 vagas, 974 estão ocupadas.

Acesse AQUI o decreto 6555/2020

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X