Perfil de internados com Covid em Curitiba muda de idosos para mais jovens; bandeira vermelha não está descartada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

casos covid jovens curitiba
Dados do monitoramento do Centro de Epidemiologia mostram aumento nos internamentos de doentes mais jovens e queda no número de pacientes com idades mais avançadas em Curitiba. (Foto: Lucilia Guimarães/SMCS)

A pandemia da Covid-19 em Curitiba voltou a ganhar força nas últimas semanas, e desta vez chega com uma mudança no perfil dos casos graves. Nesta quarta-feira (12), foram registrados 683 novos casos e 23 mortes na capital. Dados do monitoramento do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde mostram aumento nos internamentos de doentes mais jovens e queda no número de pacientes com idades mais avançadas.

Em entrevista ao vivo ao telejornal Meio-Dia Paraná desta quinta-feira (13), da RPC, a secretária municipal da Saúde, Márcia Huçulak, disse que tudo indica que Curitiba está caminhando para uma quarta onda e não descartou uma possível volta à bandeira vermelha. “Espero que a gente esteja errada, mas não estamos conseguindo baixar os casos e voltamos para um patamar de ascensão”, disse a secretária.

Os doentes com 80 anos ou mais representam, na última semana epidemiológica de abril, apenas 2,6% do total de internamentos em leitos de UTI e de enfermaria exclusivos para Covid-19 na rede hospitalar da cidade. Na primeira semana de fevereiro, os internamentos nessa faixa etária chegaram a 14% do total, o que significa uma queda de 81% no período.

Entre os idosos de 70 a 79 anos, a queda nos internamentos foi de 49% no comparativo entre a primeira semana de fevereiro e a última de abril. Em relação ao total de pessoas internadas nessa faixa etária o número baixou de 17% para 8,7%.

Mais adultos doentes

Na contramão, a proporção de pacientes mais jovens sendo internados para tratamento de casos graves e moderados em Curitiba vem aumentando, segundo a prefeitura. Pessoas entre 50 e 59 anos, nesta última semana epidemiológica de abril, chegaram a responder por 31% do total de internamentos, maior índice desde o início da pandemia para esta faixa etária.

Comparativamente, na primeira semana de fevereiro, a proporção de internamento entre pessoas de 50 e 59 anos foi de 24,6%, mas já esteve em 19% no início do ano.

LEIA TAMBÉM:

Em números absolutos, o aumento de internados nesta faixa de idade (50-59 anos) é ainda maior, de 94 pessoas na primeira semana de fevereiro para 154 na última de abril.

“Temos uma somatória de situações influenciando nessa mudança, vacinas já surtindo efeito em grupos já imunizados há algum tempo, mas por outro lado percebemos algumas faixas etárias se descuidando das medidas protetivas”, diz o diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Alcides Oliveira.

Outra faixa etária que registrou aumento no número de internamentos é a de 49-40 anos, com um salto de 13% do início de fevereiro para 22% na semana de 25 de abril a 1º de maio.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X