Pesquisadores da UFPR investigam causa da morte de baleia jubarte encalhada em Shangrilá nesta terça-feira

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Nos últimos dois meses, três baleias da espécie encalharam no litoral do Paraná. (Foto: Cesar Ramires/Prefeitura Pontal do Paraná)

Uma baleia jubarte da espécie megaptera novaeangliae foi encontrada morta nesta terça-feira (13) no balneário Shangrilá, em Pontal do Paraná, no litoral paranaense. A comunidade local acionou a equipe do Laboratório de Ecologia e Conservação de Mamíferos e Répteis Marinhos da UFPR (LEC) por volta das 8 horas da manhã. O local foi isolado para que os pesquisadores coletassem materiais biológicos para tentar descobrir as causas da morte.

A equipe de biólogos, médicos veterinários, e outros profissionais da área técnica contam também com o apoio da prefeitura de Pontal do Paraná e Instituto Água e Terra (IAT) por meio da rede de encalhes de animais marinhos do Paraná. Em uma primeira análise, descobriu-se que a baleia é uma fêmea jovem, com esqueleto completo, medindo 7 metros e, segundo informações prévias dos pesquisadores, não apresenta marcas de redes de pesca. Uma investigação completa em busca da informação da causa de morte do animal será realizada com auxílio de exames complementares laboratoriais.7

Veja o video neste link.

Jubarte

As baleias jubartes da população do oceano Atlântico Sul vem ao Brasil anualmente para reprodução, mas passam o verão se alimentando na região Antártica. A principal área brasileira de reprodução é o litoral da Bahia, mas jubartes têm saindo avistadas com frequência na região Sudeste e Sul do Brasil.

No Paraná, desde o início do trabalho dos pesquisadores, já foram registrados encalhes de 14 baleias da mesma espécie, incluindo indivíduos adultos e jovens. Só nestes dois últimos meses, esta é a terceira baleia jubarte encalhada no litoral do estado.

O monitoramento é feito desde desde Laguna (SC) até Saquarema (RJ), sendo dividido em 15 trechos. O Laboratório de Ecologia e Conservação da Universidade Federal do Paraná (LEC/UFPR) é responsável por monitorar e avaliar os encalhes no Trecho 6, abrangendo os municípios de Guaratuba, Matinhos, Paranaguá, Pontal do Paraná e Guaraqueçaba (PR).

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X