Porto de Paranaguá recebe maior navio tanque da sua história

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

porto-de-paranagua
O Porto de Paranaguá recebeu navio de líquidos com tamanho equivalente a um prédio de 64 andares. (Foto: Claudio Neves)

O Porto de Paranaguá recebeu nesta semana o maior navio de líquidos da sua história. Com 228 metros de comprimento e calado de 12,5 metros, o Cielo Rosso tem o tamanho equivalente a um prédio de 64 andares. A embarcação, de bandeira liberiana, é a maior deste tipo a operar no porto paranaense. Tem capacidade para 70 mil toneladas e vai descarregar 19,5 mil metros cúbicos de óleo diesel no píer privativo da Cattalini Terminais Marítimos. A embarcação chegou na terça-feira (18) e deixa Paranaguá nesta quinta-feira (20).

De acordo com o diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, só foi possível receber um navio deste porte graças aos investimentos realizados pelo poder público e iniciativa privada. “A dragagem de manutenção continuada e a segurança em nossos acessos marítimos, somadas à estrutura de defensas, dolphins e píers da empresa, são determinantes para que o porto atenda a demanda de embarcações cada vez maiores”, explica.

O Cielo Rosso é o primeiro navio a utilizar a capacidade prevista para o berço externo, que passou por obras e melhorias recentes. O gerente operacional Sênior da Cattalini Terminais Marítimos, Carlos Ichi, diz que esse é um marco para a história da empresa, que se preparou ao longo dos anos direcionando ações para melhoria da estrutura e instalando modernos sistemas de monitoramento e de segurança para as operações e para as pessoas. Segundo ele, os navios recebidos pela empresa têm, em média, entre 147 e 195 metros de comprimento.

Inovação

Entre as melhorias está a adoção de uma ferramenta inédita no Porto de Paranaguá, que informa, durante a atracação do navio, a velocidade e a distância em relação às defensas dos berços de atracação. Também há no local uma espécie de semáforo com luzes indicativas, que orienta as operações e pode ser visualizado à distância.

O píer da Cattalini usa novas tecnologias para o monitoramento das condições ambientais e meteorológicas. Os sistemas são os primeiros em uso no Porto de Paranaguá e receberam a homologação do Centro de Hidrografia da Marinha (CHM). Todos os dados computados são disponibilizados e integrados ao sistema Webpilots, utilizado pela praticagem e que tornou possível sinalizar antecipadamente eventuais condições climáticas adversas, permitindo maior segurança e eficiência durante as atracações e operações marítimas.

LEIA TAMBÉM:

A Plataforma Sismo – Hidromares é um sistema que fornece em tempo real dados sobre velocidade e direção das correntes marítimas e dos ventos, além de contar com um marégrafo para monitoramento do nível e do comportamento das marés. O píer também dispõe da chamada Plataforma Medusa, um sistema de previsões meteorológicas que apresenta com antecedência de sete dias as condições de correntes marítimas, ventos e nível de maré.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X