Presidente da ACP pede renúncia de Greca durante reunião com empresários

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Redação

A transmissão ao vivo aconteceu nesta segunda-feira (31) através das redes sociais da Associação Comercial do Paraná. (Video: Canal do YouTube ACP)

A reunião online realizada nesta segunda-feira (31) pela Associação Comercial do Paraná foi transmitida ao vivo pelas redes sociais da entidade. A abertura ficou a cargo do presidente da ACP, Camilo Turmina, que criticou o lockdown adotado em Curitiba para conter o avanço da Covid-19. Segundo ele, o setor do comércio é o mais atingido pela pandemia. “A maior parte dos pacientes que estão se tratando na capital vem de outras cidades, da região metropolitana, que não estão adotando as mesmas medidas restritivas que Curitiba. Mesmo sendo a cidade que mais fez lockdown do Paraná, os números só aumentam aqui. Então, nós não podemos pagar essa conta”, afirmou.

Camilo Turmina criticou diretamente a secretária de Saúde do município Márcia Huçulak, afirmando que os números apresentados por ela não refletem a realidade. Turmina disse não acreditar que o fechamento das lojas tenha reflexos na queda de casos e afirmou que economia e saúde precisam andar juntos, não só da boca para fora. Ele disse que a ACP sugeriu que os ônibus do transporte coletivo circulassem apenas com passageiros sentados, mas a sugestão não foi aceita. Um rodízio entre as lojas, com planejamento para manter comércio aberto, foi negado. “Todo serviço é essencial, prefeito!” desabafou.

E concluiu fazendo um pedido ao prefeito de Curitiba, Rafael Greca. “Nós temos um ótimo vice-prefeito na atual conjuntura. Eu tô torcendo muito para que o prefeito renuncie. Prefeito Greca, nunca é tarde para renunciar. Nós aceitamos sua renúncia, faça alguma coisa de bem para essa cidade tão inteligente”.

LEIA TAMBÉM:

Nelson Gourlart, presidente da Abrasel-PR, destacou que a metodologia de fechamento das lojas, restaurantes e bares não se mostrou eficaz em outras ocasiões. “Se nos outros falsos lockdowns não adiantou nada, porque agora iria funcionar? Nosso setor de gastronomia está morrendo”, disse ele.

A reunião seguiu no mesmo tom até o final. O empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, fez uma participação especial diretamente de Santa Catarina e falou que Curitiba é uma das cidades que mais pára no Brasil. “Estamos com 11 lojas fechadas em todo país, 9 delas no Paraná. Está na hora de nós, pagadores de impostos, nos posicionarmos”, defendeu. Luciano convocou uma paralisação total. “Se não é para trabalhar, que ninguém trabalhe. Que não trabalhe o comércio, que não trabalhe do serviço, que não trabalhe a indústria, que não trabalhe mais ninguém, lockdown geral”, pregou ele.

Em vários momentos o viés político em defesa do presidente Jair Bolsonaro, contrário aos decretos que estabelecem o fechamento do comércio e da indústria, ficou claro, principalmente na conclusão de Luciano Hang. “Vamos testar, vamos dar remédio (se referindo ao tratamento precoce com kit covid) vamos pegar aquele dinheiro que vem de Brasília e fazer mais leitos de UTIs e resolver o problema”, encerrou ele.

O presidente da Abrasel, Nelson Goulart, fez questão de deixar clara a posição da entidade que preside. “Nós não somos negacionistas, essa manifestação não tem viés ideológico”, afirmou antes de dizer que o seu setor é um dos mais prejudicados pelas decisões das autoridades municipais.

Durante o encontro ficou decidida a realização de uma carreata que acontecerá nesta terça-feira (01) às 17h.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:


Veja Também

7 comentários em “Presidente da ACP pede renúncia de Greca durante reunião com empresários”

  1. Nosso Estado, com secretário de Saúde, Petista, é decadente. Unido com a secretária de Ctba, forma uma bela dupla, na torcida do quanto pior melhor. Só vai melhorar por aqui, qdo o ESTADO DO Paraná, adotar o tratamento precoce, assim q apresentar sitomas.e essa dupla, não vai deixar.

    1. Airle Teixeira Pendiuk

      Somos totalmente a favor do tratamento precoce. Autonomia para os médicos. Sem fechamento do comércio. Abominamos essa política suja que querem destruir a nação.

  2. Ibrahim Nasri youssef

    Fora Greca !fora Márcia Huculak volte para os hospitais para cuidar dos doentes e fique por lá …Beto preto renuncie do Cargo de secretário de saúde você é pt.governador tome uma posição quanto ao lockaw ou melhor renuncie.

  3. Sem noção esse aí…

    Muito fácil terceirizar o problema…
    Precisamos, todos, propor soluções reais, não com interesses eleitoreiros.
    Vemos que o interesse político está acima do interesse da saúde coletiva.
    Faz favor…

  4. Rafael Greca decepciona os curitibanos. Tenho vergonha de ter confiado mais uma vez e depositado meu voto em favor dele. Bagunçou Curitiba, mas aglomera inaugurando museu. Deus vai dar para eles o que merecem.

  5. Difícil que algo mude fazendo sempre a mesma coisa. Tivemos a chance desperdiçada de ter a estrutura para atender os doentes e o tratamento precoce é uma possibilidade que poderia ser experimentada. Mas não, aqui é lockdown determinado por aqueles cujos seus rendimentos não são afetados, mesmo que já se saiba que não resolve.

    1. Henrique Kugler Neto

      Bando vagabundos, este maldito greca, leporino e bucéfali, esta Márcia de merda, este rato de esgoto e este secretário comunista, petusta Beto nogento, digo, Beto Preto, Beto porco…precisam ser castrados para não reproduzirem imbecus de nesmo quilate…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X