Primeira fase da vacinação contra a Covid-19 começou hoje em Curitiba

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
Em um ato simbólico que marca o começo do trabalho, estão sendo vacinados 250 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde. (Foto: Reprodução Facebook)

A enfermeira Silvana Maria Bora, da Unidade de Pronto Atendimento Boa Vista, foi a primeira moradora de Curitiba a receber a vacina Coronavac dentro do programa municipal de imunização. O ato marcou o início da vacinação na cidade nesta quarta-feira (20), no Centro de Eventos Positivo, no Parque Barigui, chamado pelo prefeito Rafael Greca de “pavilhão da cura”.

Em um ato simbólico que marca o começo do trabalho, estão sendo vacinados 250 profissionais da Secretaria Municipal da Saúde.

Esses profissionais serão responsáveis pela aplicação da vacina na cidade. O primeiro local a ser atendido será o Pequeno Cotolengo, no bairro Campo Comprido, onde serão vacinadas 218 pessoas. A expectativa é que até semana que vem, todos os moradores, funcionários e cuidadores das 127 instituições de longa permanência do município estejam vacinados. Assim como os indígenas, em sua comunidade.

A Prefeitura de Curitiba lembra que o público não deve procurar o local em busca da vacina porque todos os vacinados serão convocados, de acordo com o fluxo de vacinação, pelo aplicativo Saúde Já. Tire todas as suas dúvidas sobre o agendamento aqui!

Acompanhe a transmissão!


Primeira fase

Quem faz parte da primeira fase?

Profissionais de saúde que trabalham ou moram em Curitiba, idosos que moram em instituições de longa permanência (asilos) e indígenas da aldeia Kakané-Porã, agentes funerários, equipes da FAS e Guarda Municipal e estudantes de cursos de saúde que fazem estágios na área. Mesmo dentro das fases, existem os grupos prioritários.

Quantos serão imunizados nessa primeira fase?

A estimativa é vacinar 80 mil pessoas desses grupos da primeira fase

Dentro da primeira fase haverá grupos prioritários?

Sim, todas as fases terão seguirão uma ordem de prioridade: primeiro sempre os que são mais expostos ao risco de contágio.

Quem serão as primeiras pessoas a serem vacinadas em Curitiba?

As equipes de vacinadores da cidade, ou seja, os profissionais da saúde responsáveis por aplicar as vacinas na população. Depois, os idosos moradores de instituições de longa permanência, trabalhadores de saúde que estão na linha de frente da covid-19, além dos 150 indígenas que moram na aldeia Kakané-Porã, no Tatuquara.

Como será a vacinação dos idosos que moram em instituições de longa permanência?

Os cerca de seis mil moradores e funcionários das cerca de 170 instituições que abrigam idosos em Curitiba serão vacinados dentro das próprias instituições pelas equipes da Secretaria Municipal da Saúde. O dia e a hora serão agendados previamente e os fucionários serão avisados pelas instituições a comparecerem no dia e horário marcados, com documentos como RG e CPF. Todos os funcionários e moradores destas instituições já são acompanhados pela Secretaria Municipal da Saúde por meio dos Distritos Sanitários. As instituições que têm casos de covid-19 confirmados não receberão a vacina neste momento. Nestes casos, o prazo para a vacina é no mínimo 30 dias após a confirmação. 

Qual a sequência de vacinação para dos profissionais de saúde?

Os primeiros a serem vacinados são as equipes que trabalham nas alas Covid-19 dos hospitais de referência ao atendimento da pandemia. São 12 mil profissionais nessa condição. As vacinas serão aplicadas no Centro de Imunização da Covid-19, no Parque Barigui. Os profissionais serão avisados do dia e horário pelo aplicativo Saúde Já.

Após os profissionais das UTIs e enfermarias de covid-19, a vacinação terá a seguinte sequência, por ordem de risco:

  • Equipes que trabalham nos setores covid-19 das UPAs e no SAMU)
  • Agentes funerários conforme relação da Secretaria Municipal do Meio Ambiente
  • Equipes de Unidades de Saúde, CAPs e Centros de Especialidades Municipal e de outros setores dos hospitais e UPAs que atendem covid-19
  • Trabalhadores de outros hospitais e clínicas
  • Equipes dos Distritos Sanitários, setores administrativos de serviços de saúde e trabalhadores de saúde afastados por fatores de risco;
  • Equipes da FAS (Fundação de Ação Social) e Guarda Municipal;
  • Profissionais de consultórios e similares;
  • Trabalhadores de laboratórios de análises clínicas

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X