Projetos para implantação de ônibus elétricos em Curitiba terão suporte do governo alemão

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

O Novo Inter 2 e o Ligeirão no Corredor Leste-Oeste estão entre os projetos selecionados para a realização do estudo de eletromobilidade. (Ilustração: IPPUC)

Curitiba foi selecionada em chamada pública nacional para a realização dos estudos de eletromobilidade dos projetos do Novo Inter 2 e do Ligeirão no Corredor Leste-Oeste. Divulgada nesta quarta-feira (25) pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), a chamada incluiu projetos de estados, capitais, do Distrito Federal e de municípios com população acima de 500 mil habitantes.

A inclusão de Curitiba garantirá o apoio técnico aos estudos de pré-viabilidade nos dois projetos de implantação de ônibus elétricos em larga escala na cidade. O suporte será custeado com recursos a fundo perdido do governo alemão. Os cinco projetos das cidades contempladas devem custar cerca de 450 mil euros.

A Chamada de Projetos de Mobilidade Urbana Sustentável é uma parceria da Cooperação Alemã por meio do KfW Banco de Desenvolvimento daquele país, o BNDES, o Ministério do Desenvolvimento Regional, por meio da Secretaria Nacional de Mobilidade e Desenvolvimento Regional e Urbano, com o apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Esta foi a primeira iniciativa da parceria para o fomento da mobilidade sustentável no Brasil.

Os estudos de viabilidade dos projetos de implantação dos ônibus elétricos em larga escala em Curitiba serão custeado com recursos do governo alemão. (Ilustração: IPPUC)

LEIA TAMBÉM:

“Damos um passo importante para a evolução do transporte público de Curitiba com ônibus elétricos e à melhoria da mobilidade como um todo”, afirma o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Luiz Fernando Jamur. Segundo ele, com isso toma forma o plano apresentado pelo prefeito Rafael Greca de reduzir emissões de poluentes e do compromisso com a inovação.

Os projetos-alvo da chamada pública foram os que buscam reduzir emissões de CO2, promovam benefícios socioeconômicos e à saúde da população, o desenvolvimento de novas tecnologias que sejam sustentáveis financeiramente e contribuam para a melhor eficiência do transporte público.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X