Regras sanitárias para entrar no país são adiadas em uma semana

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

Para entrar no Brasil, viajantes terão que apresentar comprovante de vacinação completa contra a Covid-19 (Foto: Agência Brasil)

Por conta do ataque de hackers ao site e aplicativo do Ministério da Saúde, o governo decidiu adiar em uma semana a entrada em vigor das regras sanitárias para viajantes que chegarem no país. As novas regras entrariam em vigor neste sábado (11).

Na madrugada desta sexta-feira (10), hackers invadiram o site do ministério e o aplicativo ConectSUS, comprometendo funcionalidades como a emissão do Certificado Nacional de Vacinação Covid-19 e da Carteira Nacional de Vacinação Digital. Também foram afetados o e-SUS Notifica, que recebe notificações dos estados e municípios sobre a síndrome gripal suspeita e confirmada de Covid-19, e o sistema do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI).

O “Lapsus$ Group” assumiu a autoria do ataque cibernético e disse que os dados dos sistemas foram copiados e excluídos. “Nos contatem caso queiram o retorno dos dados”, dizia a mensagem dos autores do ataque nas páginas do ministério.

A página do ministério já voltou a funcionar, mas ainda não é possível acessar os dados sobre a vacina contra covid-19. “O time do DataSUS está avaliando o restabelecimento da base de dados, mas a gente ainda não tem um prazo. Por precaução, vamos publicar uma portaria hoje postergando por sete dias o início da vigência das regras que iniciariam amanhã”, disse secretário executivo do Ministério da Saúde (MS), Rodrigo Cruz.

Segundo ele, o objetivo é evitar que brasileiros que já estejam em viagem no exterior sejam prejudicados por não conseguiram baixar documentos que comprovem a vacinação contra covid-19. Ele acrescentou que o ministério e o serviço de nuvem (armazenamento de dados) têm política de backups (cópias de segurança).

Regras

Para entrar no Brasil, viajantes terão que apresentar comprovante de vacinação completa contra a Covid-19, sendo que a aplicação da última dose ou da dose única deve ter acontecido pelo menos 14 dias antes do embarque. Também será exigido teste RT-PCR negativo realizado até 72 horas antes ou teste negativo de antígeno realizado 24 horas antes.

Os passageiros não vacinados, além de apresentarem os resultados dos testes, precisam passar por uma quarentena de cinco dias na cidade listada como destino final na Declaração de Saúde do Viajante. Ao final da quarentena, um novo teste RT-PCR ou antígeno será exigido. Caso o resultado seja positivo, o passageiro segue em quarentena. Caso dê negativo, ele poderá circular normalmente pelo país.

LEIA TAMBÉM:

Aeroportos

A partir da próxima segunda-feira (13), os aeroportos de Brasília, de Guarulhos, em São Paulo, e do Galeão, no Rio de Janeiro, terão postos de vacinação contra a Covid-19. Os terminais respondem pelo maior volume de passageiros internacionais no país. A ideia, de acordo com o Ministério da Saúde, é que os pontos estejam em funcionamento sobretudo nos horários de maior movimento.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X