Secretária de Saúde de Curitiba diz a vereadores que não gostaria de estar no cargo

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
A secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçukak, no momento em que respondia ao vereador Alexandre Leprevost (SD) sobre seu desconforto no cargo. (Foto: Divulgação/Câmara Municipal de Curitiba)

Boatos de uma provável saída da secretária da Saúde de Curitiba, Márcia Huçulak, passaram a circular nesta terça-feira (25) após a participação dela na audiência pública de prestação de contas quadrimestral do SUS na Câmara Municipal. O que deu margem às especulações foi sua declaração no espaço destinado a perguntas, quando disse lamentar não poder deixar o cargo. “Eu não gostaria de estar onde estou. Eu gostaria de sair, eu não posso. Mas meu desejo hoje é de não estar aqui”, respondeu ao vereador Alexandre Leprevost (SD), que havia lhe perguntado qual o critério técnico utilizado para definir as limitações de cada segmento. “No combate à Covid, a senhora acha mais importante diminuir 2 horas de delivery do que limitar a ocupação dos ônibus?” e “Por que, há um ano, Curitiba era a capital com menor índice de incidência por milhão de habitantes e agora está na segunda pior posição do ranking, perdendo apenas para Florianópolis?”, indagou Leprevost. Nenhuma das perguntas foi diretamente respondida pela secretária, que protagoniza uma queda de braços com o empresariado local devido às restrições impostas à cidade no combate à pandemia.

Ainda durante o espaço destinado a perguntas, a vereadora e médica Maria Letícia (PV) expressou seu descontentamento com o desabafo de Huçulak. “Lamento muito a senhora dizer que não está onde quer estar, que a senhora não estaria aí. É muito triste a forma como a senhora desrespeita a Câmara Municipal, não querendo responder as perguntas dos vereadores. A senhora está desrespeitando o cidadão que nos elegeu e nos trouxe aqui. E eu quero lembrar que esse cidadão é quem paga o seu salário”, afirmou Maria Letícia. A vereadora Flávia Francischini (PSL) questionou a secretária sobre o evento promovido pela prefeitura para a inauguração do Memorial João Turin, no Parque São Lourenço, no último dia 14, onde ocorreu uma pequena aglomeração com a participação do prefeito Rafael Greca. Márcia respondeu que desconhecia a informação, o que deixou a vereadora da oposição bastante irritada.

Apesar da notícia da suposta saída de Márcia Huçukak do cargo ter sido noticiada por um blogueiro, o fato é dado como improvável por fontes oficiais. “Está mal a Márcia. Deveria pedir pra sair”, disse ao portal uma fonte muito próxima à gestão municipal, reconhecendo o desgaste da integrante mais proeminente do secretariado de Rafael Greca.

Na fase de perguntas dos vereadores, a imunização contra a Covid-19 e as medidas restritivas tomadas pelo Executivo foram os temas mais levantados. A audiência pública, que tinha previsão de durar duas horas se estendeu por quatro horas e meia. O líder do prefeito na Câmara, Pier Petruzziello (PTB), disse que a apresentação foi além do que determina a legislação. “A secretária é uma democrata. Ela está aqui na Câmara para prestar esclarecimentos. Se ela quisesse, nem precisaria falar sobre a Covid. Mas isso não faria o menor sentido no momento em que toda a sociedade pede que ela fale da Covid, desta terrível doença”, afirmou. 

LEIA TAMBÉM:

A secretária estava acompanhada do diretor do Centro de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde, Alcides Augusto Souto de Oliveira, e de outros assessores técnicos. Segundo Oliveira, até segunda-feira (24), 472.693 pessoas haviam sido vacinadas com a primeira dose e 205.706 com a segunda em Curitiba.

A audiência de prestação de contas quadrimestral da saúde é uma exigência da lei complementar federal 141/2012. O dispositivo determina ao gestor do SUS em cada esfera de governo apresentar à respectiva Casa Legislativa, até o final dos meses de fevereiro, maio e setembro, relatório com o montante e a fonte dos recursos aplicados no período, a oferta e a produção dos serviços da rede própria, contratada e conveniada e as auditorias realizadas ou em fase de execução.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

2 comentários em “Secretária de Saúde de Curitiba diz a vereadores que não gostaria de estar no cargo”

  1. blank

    O prefeito já deveria ter se livrado dessa incompetente senhora. Ela faz mal à imagem progressista da cidade, e faz mal ao Estado. Agora ela será defenestrada não pelo prefeito, mas pela Câmara que, finalmente, está cumprindo seu papel.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X