Sistema de Fiscalização vai otimizar atendimentos a maus-tratos em Curitiba

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

As denúncias de maus-tratos a animais podem ser feitas pelo telefone 156. (Foto: Divulgação)

Na Semana da Proteção Animal, o sistema da Rede de Proteção Animal ganha um módulo interno de fiscalização para facilitar o atendimento das denúncias de maus-tratos a animais que chegam à equipe. O sistema, integrado à Central 156, passa a funcionar a partir desta terça-feira (5) e deve trazer mais informações e agilidade no dia a dia da Rede de Proteção Animal da prefeitura de Curitiba.  

Por ano, são mais de três mil denúncias recebidas de maus-tratos e comércio irregular de animais pela rede da Prefeitura. São considerados maus-tratos, deixar um animal sem abrigo adequado, privá-lo de alimento e água, feri-lo e abandoná-lo, de acordo com a Lei Municipal 13.908/2011. A punição pode acontecer de diversas formas, desde advertências por escrito até multas e apreensão dos animais. 

LEIA TAMBÉM:


A chefe da Rede de Proteção Animal da prefeitura de Curitiba, Sueli Sasaoka, reforça que a participação da população é importante para o trabalho e que as denúncias devem ser feitas com responsabilidade. “Impedir uma situação de maus-tratos é urgente e deve ser prioritário, mas é importante se certificar de que realmente existe uma irregularidade”, alerta. 

Após o recebimento do protocolo, a fiscalização se desloca até o endereço informado na denúncia. Comprovada a infração administrativa ambiental, são aplicadas as sanções previstas. 

Apenas em 2021, já foram quase 3600 vistorias realizadas, que resultaram na aplicação de 35 autos de infração. Os valores arrecadados pelo pagamento das multas são destinados ao Fundo Municipal do Meio Ambiente (FMMA), importante fonte de recursos para a execução das políticas públicas municipais de proteção animal.

Reforço da Patrulha de Proteção Animal

As ações, que sempre contaram com o apoio dos guardas municipais, ganharam o reforço da Patrulha de Proteção Animal da corporação, com viatura personalizada exclusiva. A entrega da viatura e início oficial das atividades foi em meados de julho deste ano, durante solenidade de comemoração aos 35 anos de criação da Guarda Municipal de Curitiba.  

Como identificar e promover a guarda responsável 

Para ser tutor de um animal de estimação é preciso tomar alguns cuidados e adotar comportamentos condizentes com a Guarda Responsável, de acordo com a Rede. Confira alguns deles: 

Alimentação e hidratação
Forneça alimentos apropriados e com a frequência necessária, de acordo com a espécie e a idade do animal. Mantenha sempre a água limpa e fresca à disposição e não se esqueça de recolher os restos de alimento do comedouro. 

Higiene e limpeza
O cão deve ter abrigo confortável, protegido do sol, da chuva e do vento. O banho é recomendado uma vez por mês. Os felinos não precisam tomar banho frequentemente. Todo responsável deve recolher as fezes de seu animal nas ruas, nas calçadas e nos parques. É uma atitude de cidadania e obrigatória por lei. 

Saúde
Ao desmamar, o animal deve visitar o médico veterinário para desverminar e receber as vacinas. Filhotes devem ser vacinados com 2, 3 e 4 meses de idade, e os adultos anualmente, com vacina contra a raiva e doenças próprias da espécie. 

Passeio
Utilize sempre coleira e guia. É segurança para o animal e para as pessoas. Se o animal for bravo, utilize também a focinheira e evite agressões. 

Castração
O animal castrado vive mais e melhor, além de melhorar o comportamento. 

Identificação
O microchip é um método seguro de identificação definitiva no seu animal. Tem aplicação é simples e não precisa de anestesia. Por ser inviolável, ele garante a identificação do seu amigo caso ele se perca ou seja roubado.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X