Smart homes: tecnologias que transformam a maneira de morar; confira na coluna Construção e Moradia

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Gabriel Falavina – Altma Incorporadora

Smartphones, smart cities, smart energy e smart homes. A inovação com tecnologia está transformando a forma de morar e de viver no aconchego do lar. (Foto: Divulgação/Freepik)

A era digital é também a era das coisas inteligentes. Smartphones, smart cities, smart energy e smart homes. A inovação com tecnologia está transformando a forma de morar e de viver no aconchego do lar. E a rápida evolução das soluções que tornam as casas mais inteligentes tem exigido, do setor imobiliário, bastante criatividade e dinamismo na busca por novidades que atendam à busca crescente por comodidade. 

Mas está enganado quem pensa que desfrutar de casas inteligentes é algo tão caro que não passa de um privilégio para poucos. Há alternativas tecnológicas que demandam diferentes níveis de investimentos. E isso inclui tecnologias acessíveis. 

É importante frisar que a automação residencial presente nas smart homes passou por uma revolução nos últimos anos. A chegada dos assistentes virtuais, como Alexa (da Amazon) e Google Home, foi o grande divisor de águas para não apenas facilitar a automação e conectividade entre dispositivos dentro da casa, mas também baratear essas soluções

Um dos modelos da assistente virtual Alexa (da Amazon). (Foto: Divulgação)

Conversando com o Alexandre De Lara, uma das maiores referências em automação residencial no Paraná (Kelius Automação), entendi por que ele diz que a Alexa vai se tornar um novo membro das famílias do futuro. Grandes marcas de tecnologia estão produzindo dispositivos “integráveis” de automação, que podem ser usados para diferentes funções.

Permitindo comodidades como a opção de acionar remotamente uma máquina de lavar (escolhendo até a programação de lavagem e nível da água), o comando por voz pode ser uma “tecnologia disruptiva”, que quebra os padrões de como as coisas eram no mercado e estabelece novas vertentes. Segundo De Lara, antes, você precisava de uma infraestrutura especial para cada equipamento que ganharia inteligência e cabos chegando em uma central de automação. Hoje, muitos equipamentos já vêm com os dizeres ‘controle pela Alexa!’, e o máximo de que você precisa é que o sinal de wi-fi chegue no ambiente onde o equipamento está.

Em resumo, essa solução simplificou e materializou coisas que antes estavam apenas no nosso imaginário, alimentado por filmes ou séries futuristas. Das mais simples às mais complexas tarefas, o controle está em um simples comando de voz ou toque na tela do celular. Nas casas inteligentes, é possível ter acesso remoto a equipamentos e poupar tempo, esforço e dinheiro com isso. Entre as várias ações que podem ser executadas de forma remota estão travar ou destravar portas, controlar o abre e fecha de cortinas e persianas e até mesmo preparar o banho. 

Em breve, a Altma trará o Ecoclick para um de seus novos empreendimentos, um sistema que permite ao morador derrubar a energia de equipamentos que foram esquecidos ligados. (Foto: Divulgação) 

Um número crescente de tecnologias voltadas às smart homes está sendo incorporado às residências já na etapa de concepção dos empreendimentos. E, cada vez mais, a tendência é que construtoras e incorporadoras incluam, nos projetos, a infraestrutura para receber as tecnologias ou as próprias ferramentas já instaladas. 

O Árten – empreendimento da Altma que vai ser lançado em breve – é um exemplo. Entre várias novidades, o projeto inclui o Ecoclick, um sistema que permite ao morador derrubar a energia de equipamentos que foram esquecidos ligados, como luzes, climatizadores, aquecedores de piso e até a chapinha ligada à tomada do banheiro, evitando desperdício e acidentes. De forma bem simples, isso acaba com aquela sensação de insegurança tão comum, de quem não se lembra se desligou o ferro de passar ou o aquecedor. 

LEIA TAMBÉM:

Bem, se você ainda não mora em um empreendimento assim, está à procura de um ou quer investir em inteligência na casa onde vive, lá vão algumas soluções que vou deixar como sugestões. São dicas para três níveis diferentes de automação e investimento.

1. Fechadura, câmera de segurança, máquina de lavar louça, aspirador, pipoqueira e TV automáticos

Com esse conjunto de soluções, a casa já fica parecida com a dos Jetsons! E, para a automação desses itens, nenhum tipo de infraestrutura é necessária. Apenas a assistente virtual e o equipamento compatível vai deixar você pronto para surpreender os convidados.

2. Luzes, ar condicionado, tomadas e persianas acionados por comando de voz

Bom, apesar de precisar de uma certa infraestrutura, esse é o básico da automação e é muito mais acessível do que a maioria pensa. Os assistentes virtuais facilitaram o acesso a esse tipo de recurso e tudo o que você precisa comprar são receptores de wi-fi e infravermelho e um hub de distribuição. O resto é com a Alexa.

3. Sistema de home theater integrado e acionamento remoto do aquecimento de água e do piso

Alexa, preparar banho! Alexa, hora do filme!” Para esse tipo de solução, uma infraestrutura mais robusta já é necessária e, se você já mora em um imóvel pronto, terá que passar por uma reforma para ter acesso a essas soluções. Pois bem, de uma só vez ou bem aos poucos, é certo que vale a pena planejar um investimento em tecnologia para a casa e usufruir dos benefícios da era inteligente para a qualidade de vida.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X