Um passeio recheado de história pela exuberante Costa Amalfitana; leia na coluna de Daniela Barranco

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Um passeio pela exuberante Costa Amalfitana, recheado de história, neste pedaço idílico da Itália. Confira.

Costa Amalfitana

Daniela Barranco

Nesta coluna vou falar sobre um dos lugares mais lindos da Itália: A Costa Amalfitana. Um destino encantador e que poucas pessoas conhecem. Quando falamos de Itália, sempre pensamos em Roma, Milão, Veneza e por aí vai, mas a Costa Amalfitana fica no litoral mediterrâneo da Itália. Provavelmente você já viu essas paisagens em filmes como “Sob o Sol da Toscana” (Audrey Wells, 2003) ou nos de ação em que o protagonista foge para um destino apaixonante.

A 50 km de Nápoles, a região abriga 13 cidades e vilarejos. O destino oferece 55 quilômetros de extensão e conta com uma das mais magníficas paisagens do Mar Mediterrâneo. A melhor forma de explorar a região é de carro, assim você aproveita a viagem da forma que achar melhor, principalmente para ter a liberdade de circular e parar sempre que quiser à beira da estrada para apreciar a vista. Para quem vem de Nápoles, o ideal é seguir rumo a Sorrento, onde a estrada ganha os penhascos e oficialmente se transforma na Costa Amalfitana. Aí começa o espetáculo!

Sorrento

A costa de Sorrento é uma elevação que se estende até o extremo sul da Baía de Nápoles, esta península montanhosa termina em um penhasco que desce até o mar Mediterrâneo. Todo o litoral ao redor de Sorrento era uma colônia grega (período da Magna Grécia), o lendário local das sereias de Homero, antes de ser conquistada pelos romanos. Desde então, manteve a reputação de destino turístico exclusivo.

Fazendas com terraços cultivam muitos limões e laranjas, bem como azeitonas e uvas. Sorrento é especialmente conhecida por sua produção de limão, que é usado para fazer o famoso licor conhecido como limoncello. Aqui o charme está em cada detalhe e em cada canto. Tudo é apaixonante.

Amalfi

A cidade começa à beira-mar e conta com a famosa marina repleta de barcos coloridos e suas bandeiras internacionais. O ponto focal do centro histórico é a Piazza del Duomo, em frente a impressionante catedral, a piazza está repleta de cafés e lojas. Os valores arquitetônicos e artísticos das construções da região e a linda paisagem fazem de Amalfi um lugar sem comparação.

A arquiteta Daniela Barranco, na cidade de Amalfi, Costa Amalfitana, Itália. (Foto: Acervo pessoal)

Furore

Cidade de Furore, Costa Amalfitana, Itália. (Foto: Acervo Pessoal)

Furore recebeu esse nome graças à fúria do mar durante as noites de tempestade, quando as ondas quebram nas rochas e criam um rugido impressionante. É uma “não cidade” porque não tem centro ou praça principal. Em vez disso, é uma coleção dispersa de casas espalhadas pelos penhascos rochosos. A aldeia de Fiordo De Furore está situada no sopé de uma falésia, junto ao mar entre Amalfi e Positano.

Um desfiladeiro construído durante a República de Amalfi é a única ligação entre o mar e a montanha. Aqui você vai caminhar por caminhos estreitos de terra da região. As paisagens são estupendas e umas das mais lindas desse caminho pela Costa.

Positano

O que antes era uma simples vila de pescadores, hoje é um destino chique e popular entre a elite europeia. Positano é uma cidade quase impossível, agarrada às falésias de Monti Lattari, conta com uma paisagem de tons pastéis na encosta do Mar Mediterrâneo. Aqui, as ruas assumem a forma de passagens entre as casas e de escadas íngremes que interligam as vielas. Apenas uma estrada atravessa a cidade: Viale Pasitea, onde está localizado o comercio local e gastronômico, os turistas aproveitam para aproveitar o acesso de veículos. Mas vale explorar as ruelas, outras lojas, restaurantes e cafés estão escondidos nas ruas que só tem acesso a pé.

Praiano

A região é famosa como um destino de resort hospitaleiro e elegante, tendo sido a residência de verão preferida dos poderosos Doges da República Marítima de Amalfi. Hoje em dia, atrai visitantes de todo o mundo que buscam o mar cristalino e pelas vistas abrangentes. O ambiente aqui é amigável e descontraído. Praiano tem a sensação de uma vila, ao mesmo tempo em que oferece os cafés, lojas e restaurantes de um resort.

Ravello

Auditório de Oscar Niemeyer, na cidade de Ravello, Costa Amalfitana, Itália. (Foto: Gnosis Architettura)


Com uma vista de tirar o folego, esta cidade é muito diferente das outras. Por ficar cerca de 365 metros acima do nível do mar, oferece um visual simplesmente fantástico. Conhecida como a “Cidade da Música”, Ravello sempre foi o refúgio favorito de artistas e intelectuais que buscam inspiração nas paisagens.

Esta cidade também abriga o Auditório de Oscar Niemeyer, uma obra poderosa de arquitetura moderna no coração de um Patrimônio Mundial. O auditório, de 400 lugares, tem a forma de uma folha de papel branco ao vento. Além dos seus cerca de 50 km de costa, existem outras cidades muito próximas que valem a visita. Como Nápoles, Capri e Pompéia.

Pompéia

A cidade em ruínas de Pompéia fica no sopé do Monte Vesúvio. A região conta com um vulcão que entrou em erupção em 79 DC. A catástrofe encerrou a cidade com seis metros de cinzas e pedra-pomes. Depois de séculos de escavação, o que vemos hoje, juntamente com o sítio vizinho de Herculano, dá o melhor exemplo de uma cidade romana e do seu modo de vida.

Vulcão Vesúvio, na cidade de Pompéia, Costa Amalfitana, Itália. (Foto: Acervo Pessoal)

Você vai se surpreender com a impressão que a cidade oferece. Como a erupção pegou todos de surpresa e foi muito intensa, as ruínas mostram como era a rotina da cidade, oferecendo aos turistas uma dramática viagem no tempo.

Capri

Capri é uma ilha pequena, com seis quilômetros de extensão e dois de largura, metade do tamanho de Fernando de Noronha, aqui no Brasil. O lugar é adorado pelos italianos desde o tempo do Império Romano, quando o imperador Tibério construiu um castelo no alto da montanha da ilha e outras 12 mansões em volta das praias de Capri. A ilha é um dos principais destinos da Costa Amalfitana até hoje, que ficou ainda mais famoso depois de viralizar nas redes sociais em perfis de viagens e influenciadores.

Uma informação importante: carros não entram na ilha. A única forma de se deslocar por lá é pegar os ônibus ou os táxis que circulam pela única rua que interliga as duas cidades: Capri, que fica à beira-mar, e Anacapri, erguida na montanha.

O principal passeio é fazer a navegação que contorna a ilha e tem uma parada na Gruta Azul. Lá, o barco é trocado por uma canoa para facilitar o acesso à fenda na rocha. Lá dentro, o túnel apertado abre-se num salão de rocha calcária cuja água do mar, iluminada por baixo pela luz que entra na caverna, ganha uma mágica tonalidade azul. Super instagramável!

Gruta Azul, na ilha de Capri, Costa Amalfitana, Itália. (Foto: Acervo pessoal)

Na parte alta de Capri, estão alguns pontos com paisagens panorâmicas de toda a ilha, lojas luxuosas e a pracinha principal. Também vale a pena visitar os Jardins de Augusto, que têm uma vista incrível da região.

Viajar pela Costa Amalfitana é conhecer um estilo de vida único no mundo. A experiência só é completa quando você pega um carro e circula pelas estradas íngremes, parando a cada contorno da paisagem. Isto faz desse destino um lugar para ir sem tempo marcado e se caminhar a favor do vento e do encanto da cultura da região. Já preparou as malas?

LEIA TAMBÉM:

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:

Veja Também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

X