DESKTOP

UPAS de Curitiba serão transformadas em hospitais para atendimento de Covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Da Redação

blank
42 unidades de saúde passam a funcionar como pronto-atendimento para casos leves e moderados de urgência e emergência médica (Foto: Lucilia Guimarães/SMCS)

A secretaria municipal de saúde, Márcia Huçulak, anunciou em coletiva nesta terça-feira (9), que Curitiba está em alerta máximo para conter o avanço do contágio da Covid-19. Ela estava acompanhada pelo diretor do centro epidemiológico Dr. Alcides Oliveira, que passou um panorama da doença na capital. Curitiba segue em bandeira laranja e as Unidades de Pronto Atendimento serão transformadas em hospitais para atendimento de Covid-19.

“Faz um ano que tivemos suspeitas confirmadas dos primeiros casos na capital e parece que voltamos à estaca zero. O aumento de casos explodiu desde o dia 15 de fevereiro. Por conta disso, medidas serão tomadas em toda nossa rede de saúde. Nós estamos no limite das nossas forças”, desabafou.

Um levantamento que levou em consideração os atendimentos realizados nos últimos 15 dias apontou que o perfil dos pacientes contaminados mudou. Na faixa etária entre 30 a 49 anos a transmissão é mais rápida com necessidade de internamento maior e evolução para quadros mais graves, com uso de ventilação.

A secretária de saúde Marcia Huçulak confirmou essa informação. “Estamos em alerta máximo a partir de 10 de março e pedimos a colaboração de todos para que só procurem o serviço de saúde, caso seja realmente urgente. Estamos disponibilizando o telefone da Central 33509000 porque o risco de contaminação está altíssimo”, confirmou ela.

LEIA TAMBÉM:

Veja como ficaram as UPAs

As UPAs Cajuru, Boa Vista, Sítio Cercado, Campo Comprido, Pinheirinho e CIC, passam a partir desta quarta-feira (10) para um sistema híbrido – funcionando como centros de internamento para casos de covid-19, além do pronto-atendimento para casos graves de outras doenças. A UPA Tatuquara já está neste sistema desde início deste mês.

Essas UPAs continuam a prestar o atendimento de casos graves, como por exemplo enfartes, AVC, entre outros – ou seja, aqueles que implicam em risco de morte e necessitam, portanto, de diagnóstico e atendimento imediato. Casos leves e moderados serão redirecionados para outras unidades básicas de saúde, que passarão a funcionar como pronto-atendimento, e para a central 3350-9000. O funcionamento das UPAs é 24 horas, todos os dias.

As UPAs Boqueirão e Fazendinha continuam funcionando apenas como unidades hospitalares, prestando-se ao internamento de pacientes de Covid-19.

US Pronto Atendimento

Entre as medidas, 42 unidades de saúde passam a funcionar como pronto-atendimento para casos leves e moderados de urgência e emergência médica (que normalmente são feitos nas UPAs) (veja lista abaixo). Neste momento não serão realizados exames de rotina nem check-ups.

O horário de funcionamento das 42 unidades básicas que passam a funcionar como pronto-atendimento foi ampliado, das 7h às 19h, de segunda a sexta. E nos sábados das 7h às 17h.

Vacinação, gestantes e crianças  

Outras dez unidades básicas de saúde farão o atendimento de crianças e gestantes, que precisam de acompanhamento permanente. São as mesmas onde hoje ocorre a vacinação (exceto de Covid-19). Essas unidades funcionam de segunda à sexta, das 7h às 19h.

Outras seis unidades e demais locais – como Pavilhão da Cura, unidade de Saúde Ouvidor Pardinho, drive-thru (Boqueirão, Boa Vista e Barigui), Rua da Cidadania do Tatuquara e do Fazendinha e Clube da Gente do CIC – permanecem fazendo a vacinação de covid-19. (veja a lista abaixo).

UPAS COM SISTEMA HÍBRIDO DE ATENDIMENTO (PRONTO ATENDIMENTO E INTERNAÇÃO)

  • Cajuru
  • Boa Vista
  • Sítio Cercado
  • Campo Comprido
  • Pinheirinho
  • Tatuquara
  • CIC

Funcionamento 24 horas. Clique aqui e veja os endereços das unidades

Bandeira Laranja atinge limite

De acordo com a secretária municipal de saúde, os indicativos que interferem na classificação chegaram ao número máximo nesta terça-feira (9), 245, e caso seja necessário o nível de alerta será revisto. Questionada sobre os riscos serem tão altos, Márcia Huçulak falou que as restrições na capital serão mais duras que as impostas pelo decreto do governo do Estado. O toque de recolher permanece das 20h às 5h, a venda de bebidas alcoóolicas está proibida e o comércio terá que se adaptar. Os serviços essenciais farão restrição de horário de funcionamento de segunda a sexta e para os restaurantes o lockdown no domingo está mantido.

Entenda a classificação

O sistema de monitoramento da Covid-19 foi instituído em Curitiba em 09 de junho. Ele permite que se saiba de forma direta como está a capacidade de resposta do sistema de saúde para o enfrentamento do problema e também baliza as medidas necessárias para contenção da pandemia. São avaliados nove indicadores, divididos em dois grupos: nível de propagação da doença e capacidade de atendimento da rede – cada um com peso de 50% na nota final de análise.

O cruzamentos dos dados de cada indicador resulta em numa média ponderada, identificada pelas notas 1, 2 ou 3 – que, por sua vez apontam a situação da cidade, identificada por cores.

  • A cor amarela significa situação de alerta, cujas notas variam de 0,01 a 1,99.
  • A cor laranja significa situação de alerta de risco médio, e cujas notas variam de 2 a 2,99.
  • A cor vermelha significa situação de alerta de risco alto, e cujas notas ficam de 3 ou mais.

O monitoramento das variáveis é diário.

Detalhamento

No grupo de “propagação da doença” entram os seguintes indicadores:

  • Número de casos novos confirmados nos últimos sete dias em relação ao número de casos novos confirmados nos sete dias anteriores.
  • Número de internados por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em UTIs no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de pacientes de covid-19 confirmados em leitos de UTI no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de pacientes de covid-19 confirmados em leitos clínicos no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de casos confirmados nos últimos sete dias para cada 100.000 habitantes.
  • Número de óbitos nos últimos sete dias para cada 100.000 habitantes.

No grupo “Capacidade de atendimento” entram os seguintes indicadores:

  • Número de leitos de UTI disponíveis para atender covid-19 no dia.
  • Número de leitos de UTI disponíveis para atender covid-19 no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de leitos de enfermaria disponíveis para atender covid-19 no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.

Siga-nos no Instagram para ficar sempre por dentro das notícias:


Veja Também

blank

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

blank
X